terça-feira, 12 de dezembro de 2017

O SEGREDO





Uma vez, no auge  do sucesso, o livro O Segredo despertou interesse em muitas pessoas, até mesma serva. Fui à livraria e o comprei; mas nunca o li por completo. Mas ultimamente ele tem despertado em mim um singelo interesse. Pois dá ênfase à própria pessoa, suas ações e a força do próprio pensamento. Vou procurar na minha enorme estante para lê-lo com mais acuidade.
Por outro lado, participei de uma exposição onde o palestrante reiteradamente frisava que o segredo está em guardar o segredo. Aquilo ficou martelando em minha mente. E tenho nalguns momentos preservado 'segredos'. Não por ser supersticiosa, não por acreditar em atrair coisa 'ruim', mas para resguardar aquilo que necessariamente não precisa ser revelado, claro.
A filósofa Hannah Arendt em sua dicotomia entre a esfera pública e a privada faz interessantes distinções. Onde ressalva que 'o privado é o reino da necessidade; o público é o reino da liberdade'. É uma das minhas autoras preferidas, decerto.
E eu creio que nós temos em nós essas esferas, também.
Há pessoas que não sobrevivem sem que suas vidas privadas se tornem públicas! Como artistas, cantores, esportistas, políticos, palestrantes, youtubers, etc. Querem ser vistos, querem ser seguidos, querem ser ovacionados por plateias. Há um outro grupo que prefere a discrição, o anonimato.
Nalguns momentos prefiro o público, como apresentar algum trabalho científico;  noutros momentos quero a quietude quase silenciada. Há Mestres, por exemplo, não apreciam coisas e posturas espalhafatosas. 
Mas há coisas na vida que só dizem respeito a quem de direito. Há coisas que mesmo sendo públicas, somente quem sabe saberá do que se trata!  
Há coisas entre um Mestre e uma serva que somente eles sabem. Há coisas que somente o mentor e seu discípulo sabem. Há coisas que podem ser desfrutadas, saboreadas somente entre quem está ciente dessas coisas. Aquele telegrama picante, uma cartinha luxuriante entre um macho e  uma fêmea.. Pois somente essas partes envolvidas saberão que ali reside algo que só diz respeito entre si. Onde o público e óbvio é particularmente privado; justamente para que se preserve a intimidade, a privacidade de quem não quer seu privado expresso de forma pública.
O que eu quero que seja público, mesmo é essa paixão bdsm que cada dia vai nutrindo meus desejos, que se transformam nessa essência de mim mesma, essa essência de serva. Uma serva que publicamente declara sua servidão a um Mestre, um Dono por quem nutre profundo respeito, paixão e obediência. Uma serva que tem fome em ouvi-lo, que tem sede em senti-lo. Que vive sem fronteiras de servidão, sem limites de direito, porque simplesmente a Ele entregou todo e qualquer resquício desse direito, pautado no respeito, sem se sentir nem superior, nem inferior. Sente-se apenas uma serva e nada mais!
O segredo é receber o Mestre em sua essência, em seu momento, com a mais exuberante harmonia.
Eu tenho uma maleta repleta de segredos! Repleta de tantos momentos, cada peça, me remete para uma situação diferenciada. Repleta de prazeres que não me caibo em mim mesma. Por isso sinto essa necessidade de compartilhar "contigos", senão explodo!
Eu gostei, eu gosto das markas que Tuas Markas provocam em mim, Mestre! Olhe e veja quão belas são! Não tenho segredo em lhe revelá-las! Podes sentir?! O segredo maior que guardo, agora é público: - eu sou esta fêmea que se tornou nesta serva para a Ti servir! Cheia e escancarada de desejos de seguir sempre Tuas Markas!


 

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

MEU MESTRE, MEU TESOURO



 "Sentia-me segura, confiante... Ele me dá confiança. Não tenho medo de seguir Suas Markas. Meu Mestre é meu maior tesouro BDSM.  E este tesouro é uma grande riqueza, muito bem guardada em meu coração. O lugar onde as riquezas não podem ser destruídas."


quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

HÁ MOMENTOS...






Todas as emoções e sensações que senti, sinto ou sentirei em relação ao Bdsm tentei e tentarei expressar através de minhas falas. Às vezes carregadas de sentimentos, carregadas de tesões, carregadas de desejos, carregadas de realizações...
Nessas traduções, vou tentando transmitir a realidade do momento através dos textos, claro, e também de imagens colhidas na internet, mas que são pertinentes ao momento correlato, para assim intensificar as falas. Que assumo e assimilo com tanta intensidade que me transporto para a figura ao ponto de poder, em certos momentos até confundir comigo mesma. Mas que não sou eu.
São imagens de domínio público, disponíveis na internet, usadas sem nenhum fim comercial. Procuro ser o mais discreta possível; evitando imagens de pessoas púbicas famosas, assim como imagens pessoais. Há algumas imagens inéditas, sim, que são bem restritas.
Se ontem eu estava alegre, flutuando nas estrelas, hoje eu estou chateada, meio triste. Será que tenho bipolaridade? Está certo que tenho ‘um certo’ bom humor, uma alegria. Mas se há algo que me deixa triste é chatear alguém com alguma coisa, ou alguma ação. Isso me mortifica. Há momentos que queremos chorar, há momentos que queremos apenas um colo...
Quando, de uma forma ou de outra causo alguma irritabilidade ao meu Mestre, isso me deixa extremamente arrasada. Com vontade de chorar. E choro. Muito. E creio que, infelizmente isso aconteceu. Por isso sinto-me desmotivada a escrever. Retorno condicionado ao desejo do Mestre...

MOMENTO...






Vem!
Para um momento eternizante

Que ficará markado pelo prazer

Vem!

Anistie essa sua ausência...

Vem!

encurta essas horas

elimina essa distância

e deixe minha boca colher teu prazer

por mim

por ti

por nós...

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

TEMPORARIAMENTE AQUIETADA..




Às vezes sou bastante impetuosa, emotiva e acho que humana. 
Quando algo me deixa feliz, fico feliz. E algumas coisas por me deixarem feliz, tento compartilhar. Peco por isso. Se é que isso é pecado.
E tenho feito deste espaço um livro de compartilhar relatos de desejos realizados ou apenas desejados mesmo.
Peço perdão ao meu adorado Mestre pelas inconveniências. E que isto não sirva de motivo para castigar esta serva.
Desejo a todos um fim de ano cheio de muitas curtições.
Só votarei às postagens em 2018.
À todos: Obrigado e desculpem.



terça-feira, 5 de dezembro de 2017

EXPLOSÃO



Acordei com uma explosão, acho que era explosão de fogos de artifícios, não sei porquê. Nem feriado era, nem período de vestibular era. Era cedo da manhã. E como sempre, levanto às 5.00h, corri para este cantinho, na alegre esperança de encontrar o meu Mestre. Mas foi só esperança mesmo. Nada. Apenas um emoticon de outros dias passados, que não traduzia sua pessoa. Tão markante, tão presente. Quase estranho, já que não aprecia coisas "fora do padrão reto e rígido dele". Suspirei.

Nada. Será que o que estou escrevendo não está sendo de Seu agrado ou aprovação? Ou será que falei algo indevido? Um monte de fogos começam a pipocar dentro da minha cabeça, na minha imaginação. Inquietei-me. Mas não consegui aquietar-me... Mais suspiros. Deitei nas almofadas, liguei a TV, mudei várias vezes de canal esperando o tempo passar para preparar o café e depois sair. Fiz algo típico da região – tapioca, ovo estrelado e caldo de carne.

Mas ainda assim fui buscar o Mestre. Corri novamente ao cantinho das revelações de desejos (blog). Nada. E quando isso acontece pronto! Invés daquela volúpia que cresce, que consome, que ensandece... Não durmo mais direito, o coração fica acelerado, nasce uma inquietação desgraçada. É um verdadeiro tormento!

E constato que esta submissa é markadamente dependente das explosões que Seu Mestre nela plantou. Parece paixão? Parece loucura! Mas e daí!? Alguns podem me chamar de louca... e chamam. Mas como dizia Nietzsche:


“Se minhas loucuras tivessem
 explicações não seriam loucuras”.


Eu não quero entender, nem quero explicar as razões, nem os porquês de tudo que este Mestre provoca nesta serva. Ele provoca todas as sensações plausíveis e possíveis. É dor, é prazer, é raiva, é vontade, é desejo, é paixão, é tesão... são tantas markas que explodem e ressoam em minha vida de todas as formas e sentidos! É simplesmente "adorante"!