<                           

























sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Um DOM e sua submissa

(Autor desconhecido - adaptei)




(DECLARAÇÃO QUE TODO DOMINADOR DEVERIA FAZER QUANDO 'PENSASSE' EM TER UMA SUBMISSA. UMA MULHER SOB SUA PRAZEROSA PROTEÇÃO.)

Eu sou um homem dominador... 
Eu sou simplesmente isto, não sou dominador por nenhuma superioridade de minha parte. 
 
Não porque me sinto mais inteligente, ou sensato...
Eu não sou dominador pela massa ou força do meu corpo. 

 
Eu não sou, e nem gostaria de ser dominador com todas as mulheres... mas para você, eu sou um Mestre.

 
Eu sou seu Mestre somente após ter sua confiança, e abraçado sua submissão. 

 
Eu olhei dentro de seu coração e mente e claramente vi seus desejos e paixões... 

 
Você jogou fora seus medos, vergonhas e inibições, você me fala das necessidades do seu coração e corpo. 

 
Você me deu total acesso a sua alma, e eu aceitei a responsabilidade e a honra. 

 
Você é uma mulher e você não é inferior ou fraca por causa disto. Você é um tesouro para ser adorado. Nós não somos iguais. 

 
Eu tenho a força do corpo e da mente, e a necessidade instintiva de proteger, possuir, defender e prover por você. 

 
Você é uma mulher com instintos fortes de desejos e coração.

 
A sua confiança em mim me dá coragem e direcionamento, a sua força retira minhas dúvidas, suas necessidades e desejos me encorajam e dão propósito aos meus esforços. 

 
Nós não somos iguais, meu amor, somos metades de um todo... Nós completamos um ao outro e nos fazemos completos. 

 
O meu desejo de a dominar é instintivo. Não é para degradar você e nem é degradante para você porque você tem segurança em sua total feminilidade. 

 
Cada um de nós reconhece e aceita nosso valor, e a necessidade de alguém para preencher nossos desejos. Você está segura, forte e orgulhosa de ser feminina. 

 
Você não se submete em aceitação a inferioridade, mas por força e paixão. Você espera um Homem que seja forte e seja Homem. Você deseja florescer sob a força e o controle de um Homem. Em retorno você o presenteia com o controle sobre seu corpo, inqualificável confiança e honestidade, e a verdadeira fé de seu coração. 

 
- Você se submete porque eu conquistei sua confiança, porque eu abri meu coração e minha alma a você. Porque escutei suas palavras com os ouvidos e o coração, e aprendi a antecipar suas necessidades e sentimentos. E porque provei meu valor a seus olhos, você me deu o único e verdadeiro tesouro da vida = você me deu a dominação sobre você. 

 
O que você dá não é anormal, mas é o mais puro, natural e raro presente que uma mulher pode dar a um homem. Você me deu completa e inabalável garantia de seu compromisso comigo...

 
A sua submissão é um presente magnífico e uma responsabilidade sagrada. Eu aceito isto de você com humildade e alegria. Eu entendo a raridade e a pureza deste presente. Eu reconheço que é seu corpo e alma, seu coração e mente. 

 
Eu domino você somente porque você me permite, e quando a vejo ajoelhada em minha frente, na minha mente e em meu coração você esta suspensa acima de todas as outras mulheres, e de todos os tesouros do mundo, porque o que você me dá espontaneamente, não se pode comprar na vida.

 

SEDÚCEME


Sedúceme con tus palabras
sumérgeme en tu piel
ámame con tus caricias
aprisióname en tu cuerpo.
Que se eternice el tiempo
que se paren las horas
que se detengan los minutos
que se borren los segundos
Súbeme a tu cielo
húndeme en tu amor
méceme en tus olas
ahógame en tus besos
Bájame nuevamente
muéstrame tu pasión
fúndeme en tu deseos
acúdeme en tu éxtasis
Enséñame quien eres tú
poséeme mil veces
sedúceme nuevamente
hazme tuya para siempre...

eternamante tua...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

AROMA




Nossos corpos

tilintam um ao outro

Sintas o aroma do nosso prazer

envolves-me

em teus pecados sadistas

e em mim dilatas

um vulcão de delícias... 





segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Toda Tua!


Tuas mãos, vivas, indecentes,
deliciosas, lascivas,
pouco a pouco me acordam,
me revivem, possessivas,
e ateiam fogo em minha alma,
acariciando, pegando, machucando,
me dizendo: tu és minha puta!
me tornando cativa do teu desejo.
Sim, sou tua,
me tomas como quiseres,
me amas, me fazes tua mulher,
tua cativa, tua cadela,
e me fazes feliz.
Tu me fizestes assim,
teu brinquedo, agora vivo em ti,
E eu, despida de orgulho,
entre teus braços,
nua, me entrego,
corpo, alma, coração, boca,
seios, ventre, razão.
Se, fora daqui, sou gelo e aço,
em tuas mãos sou apenas carne,
fogo, emoção,
para moldares a teu prazer
Venha!
Pulsando com teu corpo
dentro do meu,
nesta hora, sou amada, sou mulher,
sou tua femme, sou tua escrava
e sou feliz.
Totalmente toda tua!

sábado, 24 de novembro de 2007

Louco Desejo



(Michel H. Baruki )



Eu invento, imagino, te desejo,
e viajo nas galáxias dos meus sonhos,
te quero co’ um amor sincero e puro,
mas dentro do teu corpo que eu me ponho.
Quantas vezes te dispo, depois lambo,
vou dobrando as esquinas dos gemidos
e esgarças tuas coxas me ofertando teu cheiro
que me deixa enlouquecido.
É bom nadar em cima do teu corpo,
lamber o teu suor, beijar-te a boca...
virar com a língua o sexo pelo avesso
pra ver o teu olhar de ninfa louca.
Mas é dentro de ti que eu me derreto,
nós dois num só nirvana de paixão
e enquanto descansamos nossa fome
te beijo com o olhar da solidão.
Eu sonho meu amor, sonho contigo,
dormindo ou acordado eu te reclamo
mas dentro da distância destes versos
eu tento demonstrar o quanto te amo.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

SUBMISSÃO

"Ninguém pode fazer você sentir-se inferior sem o seu consentimento."
Eleonor Roosevelt (mulher do presidente norte-americano que governou os EUA de 1943 a 1945)
A submissão numa relação BDSM é exatamente isso: uma concessão e, ao mesmo tempo, uma libertação da mente, do corpo e da alma... Por meio dela, podemos nos destituir de preconceitos, de medos, de incertezas, de moralidade e de outras tantas outras regras preestabelecidas. Descobrir-se submissa significa dar vazão a anseios secretos; ser servil; obediente e devota. Significa descobrir um mundo de prazeres infindos, além da real possibilidade de vivenciar a entrega da anima a outro ser, no sentido mais pleno da palavra. Sem dúvida, uma das mais ricas e fascinantes experiências eróticas que um ser humano pode explorar.

Vários são os subterfúgios empregados pelo Dominador para desnudar todo o potencial de submissão de sua escrava e, com isso, extrair os mais íntimos sentimentos e sensações, canalizando-os sempre para o prazer de ambos (Mestre e escrava).
A humilhação é um instrumento muito poderoso numa relação de Dominação/submissão. Tanto para o Dominador - que, por meio dela, doutrina, corrige e pune, como também, cuida de sua submissa - quanto para a escrava, que tem a oportunidade de demonstrar sua entrega, sua devoção e seu desapego a tudo que não seja o seu Senhor e as vontades dele. Não se trata aqui de auto-afirmação. É preciso lembrar que o conceito de humilhação nas relações D/s difere em todos os sentidos dos padrões constituídos nas relações normais. Nas relações de D/s a humilhação instiga, inspira e nos faz crescer.
Sem dúvida, uma experiência farta em diversos tipos de emoções. Com esse recurso, elementos fortes são tocados: auto-estima, autocomiseração, impotência, tristeza, insegurança, medo; e sensações físicas também são experimentadas (como as lágrimas que tanto escorreram dos meus olhos), a raiva reprimida nos gestos, mas impossível de ser disfarçada no olhar, a dor no estômago, a ânsia que faz meu corpo tremer sem parar, a impressão de estar rasgada por dentro, o ímpeto contido de correr sem rumo e sem parar e a certeza de que nada escapa aos olhos e à mente perspicazes do Mestre que observa, orienta, corrige, pune e ampara. E é exatamente dessa certeza que brota a vontade de superar-se, de agradar, de subjugar-se a qualquer custo, plena da confiança inabalável total e irrestrita daquela voz que ordena, daquelas mãos que guiam, castigam e afagam e daquele olhar que gela a alma, estarrece de pavor mas que é só prazer...
A cada humilhação imposta, a gente se convence que a angústia pela punição ou a alegria pela recompensa são prazeres indistintos. Nesses momentos, somos capazes de tudo para ver surgir aquele olhar (ah!!! aquele olhar....) o êxtase total. Nada, absolutamente NADA, se compara ao êxtase advindo da contemplação daquele olhar...

SENDO TODA TUA

(desconheço o autor - adaptei)
 
O toque de seda da chibata...
O tom aveludado do vergão...
As marcas de sua mão
Desenhadas em minha face e bunda
Refletem com o brilho de meus olhos
Os segredos de minha’alma
A mão que puxa a guia
É a mesma que acaricia
A que empunha o chicote
Que mostra o caminho da casinha
É a que presenteia com carinho
A que pune a rebeldia
Como é bom sentir-se amada, serva
Protegida, orientada
Ter os passos coordenados sabiamente
Disciplina, servidão
O prazer que proporciona
A vontade de servir
A quem domina, A quem não...

terça-feira, 6 de novembro de 2007

AJOELHADA

(§selena§)

 

Ajoelhada, adoro tua imagem
que se faz presente em minha mente...
Olhos fechados ...
vejo o brilho do teu olhar a me dizer:
ÉS MINHA!
Minha pele se abre
para receber o afago do teu chicote...
Meus lábios entreabertos esperam teu beijo...
Ajoelhada diante de ti
Entregue a teus desejos
Suscetível a teus caprichos.
Lágrimas caem dos meu olhos
molham meu rosto...
banham minh'alma
Que solitária
te procura nas brumas dos sonhos
É lá, apenas lá, em meus devaneios,
que te encontro
Com teu sorriso menino
Com teu olhar de Homem
Com tuas mãos fortes
a vasculhar meu corpo
em busca de tua femme
Ah, Senhor, Dono de mim!
por que não vens buscar tua escrava?
por que não me prendes pela guia
bem perto de ti?
Preciso sentir tua presença,
Preciso sentir teu cheiro
Preciso sentir teu domínio sobre mim...
És meu Dono, meu Senhor,
És meu amor!
Vem, e enche esse vazio que me consome...
Vem e me faz inteira novamente...
Te pertenço, sou tua propriedade...
Então vem Senhor e Dono de minh'alma
v
em e toma conta de do que é teu...


"Espero por ti!"

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

ORAÇÃO DO PROFANO AO SAGRADO

(Vânia Moraes)


És tu Senhor...
Aquele que traça a história de minha vida,
em cada poro servido a ti.
Sou lascivo querubim em teu leito desnudo,
com penas e asas queimando

no fogo profano consumindo tua cama.
Entrego-te a servidão de minha alma
no anseio que me faz vadia
em detrimento do teu prazer
entrelaçado no silêncio de tua ordenança.
Gosto do jogo,vergões em fogo,
tatuagem na pele suada,
simbiose de tortura e prazer
no banho de língua que dás
na fêmea oferecida a beber o sangue,
a beber o cio...
Pequeno córrego por entre as pernas,
sinal sagrado da ( im ) perfeição humana.

Ah, amor que me alucina! como queria ter-te de fato para poder me oferecer! oferecer esse prazer, esse cio que jorra em mim...

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Anjo Alado

(Samarago)


Por mais que me envolvas em teus braços…
Por mais que me vendas os olhos…
Por mais que amarres as minhas asas…
Por mais que beba do meu néctar…
Por mais que sinta o suave trespassar,
Dos teus dentes no meu corpo de femme…
Estou sempre à mercê ao teu encanto…
E enquanto sacias no meu corpo,
A tua sede sempre infinita...
Bebo o teu gozo sinto-o trespasso o meu corpo,
De Mulher que te pertence
Com tua lança encontras dentro de mim,
Um desejo quente e iluminado...
Um paraíso pronto a florir…
Nesta mítica batalha dos nossos mundos opostos,
Sabes bem porque estou aqui…
Quando me envolves,
No aconchego das tuas asas,
Mas, nunca serei o teu Anjo caído…
Sou uma Guerreira de Luz.
Sou um Anjo alado.
Que voa sempre em tua direção...


(Fiz algumas adptações para traduzir o que quereMOs)

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Virginal

(dombeholder)


Ó serva intocada
Mulher menina assustada
Diáfana perdida indecisa
Sozinha trancada calada
Desejo de colo e calor
Desejo de coito e ardor
Desejo de guia e de voz
Desejo, não de um, mas de nós
Então, pequena odalisca
Aceite esta ode à conquista
E encontre-se pois nas estrofes
De suas dúvidas atrozes
Depois de sua descoberta
Depois da verdade e mais nada
Esteja segura e certa
És minha, só minha, calada