<                           

























Mostrando postagens com marcador #SLAVE. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #SLAVE. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 28 de julho de 2017

PROVOCAS-ME



Provocas-me devagarinho...
com sabor de paixão
com desejos e inspiração
Tua 
eternamente Tua serva ylena

quinta-feira, 27 de julho de 2017

SESSÃO BONDAGE 3 MODELO LAYS


Vestida de cordas
fêmea e enfeitiçadora










Fotografia:  Beto Fernandes bf3 images  ( www.bf3.com.br )

sexta-feira, 21 de julho de 2017

quinta-feira, 20 de julho de 2017

O CORPO - O TEMPLO



CORPO
templo do servir
templo de recebimento
templo de entrega
templo de prazer
templo...
é no corpo que os deuses recebem as melhores oferendas
é no corpo que homem e mulher saciam suas libidos
é no corpo que se acoplam prazeres...
cuide do seu corpo
cuide de seu templo
cuide de seu prazer...

quarta-feira, 19 de julho de 2017

DESEJO SECRETO






Sabe qual é meu desejo secreto?
- Raptar-Te em meus pensamentos e levá-lo a um local
- quem sabe numa cabana - onde somente nós dois pudéssemos estar,
sem tempo, sem hora, sem momento.
Perdidos em desejos e satisfações,
sentindo o tremor de nossos corações e corpos,
como acorde em perfeita harmonia de notas sinfonadas.
A minha boca entorpecida, asfixiada pelo prazer,
aquele prazer que vem de Ti e que sacia meus desejos,
com prisões de liberdades;
em desesperos de felicidades;
em provocações de acordes refinados
que como ondas num mar em calmaria,
suavemente sussurra ao ‘pé do ouvido’:  
- És a minha putinha.
No íntimo um largo sorriso aflora em meu coração
e externaliza nesses lábios  ardentes e sequiosos de Ti;
que como fogo em brasa toca Tua pele
ansiando pela recíproca,
ansiando pela Tua Marka do prazer
por Tua mão, por Teu toque.
Quantos pensamentos de Ti,
sem ao menos sair do lugar!
Como vê
Não há obstáculo, não há distância...
eu Te sinto aqui, sempre perto...
Quando ao mesmo tempo fico contando horas
Para retornar de onde sequer saí...

UMA FÊMEA – UMA SERVA



Eu me preparei para Ti
eu me tornei mulher 
para ser fêmea
eu me tornei fêmea 
para ser serva
E em forma de serva,
torno-me Tua escrava
Totalmente submissa
ao Teu markante prazer
sou Teu cântaro 
sou Tua cama
sou Teu descanso
sou Tua fêmea!
Tu me fascinas,
me excitas e me enches de desejos para Te servir
Eu sou Tua serva, meu Amo!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

O PAPEL DE SUBMISSA - FOTOGRAFIAS LAYS 1



Um ensaio fotográfico belíssimo e sensual de BDSM, protagonizado por Lays Orsini, no papel de submissa.


Fotografia:  Beto Fernandes bf3 images  ( www.bf3.com.br )

Fonte: http://covermodel.ig.com.br/modelos/2017-07-13/lays-orsini-ensaio-sensual.html









 Beleza e sensualidade com toda arte BDSM
Uma das vertentes do BDSM: bondage 
BONDAGE (fetiche sadomasoquista que consiste em amarrar e/ou imobilizar  um parceiro/uma pessoa)


domingo, 16 de julho de 2017

PUNIÇÃO E CARINHO






Nem toda punição é castigo
Mas também não pode deixar de vir, 
afinal, a recompensa...
o carinho, o cuidado...
E assim vai se renovando os desejos
e fortalecendo a relação BDSM.

TE QUERO DE TODAS AS FORMAS



Te quero um semi deus
Te desejo um super homem
Te quero simples
Te quero mito
Te quero inteiro
Te quero um pouquinho
simplesmente quero Tua marka em mim...
Te quero de todas as formas...
ou de qualquer forma...
mas Te quero! 
 

sábado, 15 de julho de 2017

SERVA E FÊMEA






Por fim, a serva pode se revelar numa grande fêmea, uma mulher espetacular, fortalecida  pelo desejo em servir seus próprios desejos, que é ser submissa. Servir aos desejos de um homem, não um homem qualquer, mas um homem dominador. Aquele que vai traçando caminhos, delineando práticas que a Si mesmo se assemelham e que a ela são ensinadas. 
Tecendo entre conversas e encontros os roteiros de um acordo bdsmista. Satisfazendo um plantel de desejos com vários lotes de ensinamentos. 
Uma serva que com preocupação se esforça para cuidar do prazer do seu amado Senhor, mantendo viva as lições recebidas, aprendidas e  aguçando aquelas que ainda virão.
Serva e fêmea se misturam na busca das realizações de desejos mutualizados, numa relação ratificada pelo compromisso da sinceridade e da idoneidade.
Tempo? O tempo é apenas uma questão de espaços na construção desses arraigados desejos, perpetuados por lembranças, momentos e toques...
Numa simbiose acalantadora, como se fosse uma gangorra, indo e vindo, subindo e descendo...
Ah... ser serva é ser fêmea no servir. É ser serva. E pronto!
E esse é o querer de toda serva que anela ser markada....
Ou pelo menos é o desejo desta serva...  

Tua serva ylena, Mestre.


sexta-feira, 14 de julho de 2017

FÊMEA E SERVA



Ela era assim. Simplesmente fêmea. No auge de seus 35 anos de idade, num corpo maravilhado, com uma boca que se perdia em seduções. Parecia uma deusa de ébano, na sua pele extremamente perfumada. De olhar amendoado, escondido entre cílios e piscadas. Em cima de seus altos e provocantes saltos,  exalava cheiro de tesão. De perdição. De desejo. Mexia com a imaginação de homens e mulheres. Produzia fantasias em suas mentes, em suas ações. A ponto de receber convites todo momento. De ser chamada de gostosa, vem pra minha rede, ai se eu te pego, e coisas do gênero que mostram que o tesão aflora...
No andar, o traquejo rebolado de pura provocação, onde as ancas balançavam oferecidamente... Na sua mistura de sagrada e profana.  Uma fêmea ilibada em seus meios de convivências sociais. Acadêmica dotada de conhecimentos variados e multidisciplinares. Com uma vida cercada de pessoas idôneas...
Essa era a mulher, essa era a fêmea. No entanto, por traz dessa mesma mulher existia uma outra, composta da mesma matéria. Só que feita de sensações, de desejos e muita vontade de servir. Que descobriu nessa sua caminhada o prazer que uma marka poderia produzir numa vida – na sua própria vida.
Não estava atrás de transas fúteis sem sentido; não lhe interessada aventuras descabidas... Queria uma dominância de sentimentos diferenciados, com adrenalinas exacerbadas. Foi ai que entrou numa estrada conduzida por convidativas mensagens de prazer, o prazer testemunhado por quem por ele vivenciava. Instigou-lhe ainda filmes vários, conversas, vozes, imagens...
Não restava mais dúvida. Era esse o caminho do seu prazer. Ainda incompleto pela falta do ‘parceiro’. Onde procurar? Onde encontrar? E como caminhos cruzados, como o fogo que atrai a brasa, 'achou'  um único nome entre tantos. Foi ali, que começou de fato, sua caminhada bdsm. Não sabia de início se encontrara ali seu protetor de prazer ou seu algoz.
E naquele encontro, como uma oferenda oferecida aos deuses, ela foi ao encontro do seu destino; aquela fêmea pode se sentir de fato uma verdadeira “putinha”. Sim, pois entre o prazer entre um Mestre e uma serva não precisa de pudores. O prazer é rasgado, despudorado. As algemas eram os líquidos dos gozos.
O não querer  era cada vez mais querer...
E isso não era o fim, não era o início, era a continuação  do nascimento informe  e ainda inconsciente de uma serva. Uma serva que nasceu para ser o prazer de seu Senhor e seu Mestre.  E hoje ela tem uma marka em sua vida de mulher, em sua caminhada de serva. A Marka de um Dom!...



Essa história pode ser de qualquer submissa, pode ser a minha, pode ser a sua, pode ser daquela que deseja conhecer os prazeres que o mundo bdsm provoca e  acende... Não apenas em 50 tons de cinzas, mais em multicores tons de prazer... Deixe-se viver e gozar dos seus prazeres... Tente pelo menos!