Mostrando postagens com marcador ACESSÓRIO. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ACESSÓRIO. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

É ASSIM QUE EU TE SIRVO



Totalmente escrava a Teus delírios
Totalmente submissa a Teu querer
encurvada ante Tua presença
E levantada para contigo cear
em prazer e servidão.
Tua serva!

ESTE CHEIRO GUARDADO




Esse cheiro de depravação, de devassidão
que invade esta fêmea, que se transforma nessa louca serva
que em desejos alucinados espera por tua invasão, 
Tua marka, Teu tesão
sobre uma cama posicionada ou quem sabe, mesmo no chão!
sem tocar a campainha, sem aviso prévio ou permissão
Tu me conduzes em Teus compassos, 
e me chama de putinha e eu caio em teus laços!
Com todas as tuas indecências e querências
Vai me invadindo de tua forma 
e me transforma...!

sábado, 11 de novembro de 2017

PROVOCAÇÃO AO PRAZER





Nessa nossa escassa e intensa relação, regida e alimentada por essa obsessão de prazer que em nós nos  provocamos...
Dono e serva sem fronteiras,
buscando o mais completo êxtase. 
O mais louco tesão. O mais 'louco' 'amor' bdsm... 
CONTIGO! 
É simplesmente CONTIGO que quero experimentar  todas as formas do prazer, todas as amplidões do bdsm desconhecido,
ilimítrofes às fronteiras carnais... morais, sociais,
Que TU me eleves à loucura do tesão (!), nessa busca alucinada que minhas carnes, mente e coração vagam TE tateando... em busca da dor, em busca do amor, em busca da TUA Marka. 
Deixe-me tocar TEUS prazeres.
Deixe-me entregar-me aos TEUS prazeres...



sexta-feira, 3 de novembro de 2017

ENGRAVATADOS


A gravata, desde quando foi inventada em Londres - cidade onde a maior parte do ano era  nublada e muito úmida, para proteger o pescoço como um cachecol - a gravata tem tido outras utilidades... Serve também para prender, sensualizar e isso independe do sexo, do gênero.
Pode produzir bons momentos, regados com domínios e desejos...





quarta-feira, 1 de novembro de 2017

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

NUANCES DE UM ENCONTRO - CONTO BDSM -










Todo homem e mulher aspiram e desejam um momentos de entrega, de paixão...
Tudo começou com um contato inesperado. Sonhado, tocado... O tempo foi o inimigo. O medo foi o atraso. As distâncias foram superadas. A ansiedade controlada. Um misto de medo e tesão. A espera. Os preparos. A chegada. O desejo. A entrega.
15 dias de expectativa que desencadeou num desejo insano de comer chocolate. Pulando uns quilos pra mais. Merda! Mas tá decidido. Iríamos ao finalmente, sim, Sr. Todo o preparo de coisinhas de mulher foi em vão. Nada foi utilizado. Adeus camisolas de seda. Adeus mini saias. Adeus calcinhas fio dental de rendinhas. Adeus corselet. Adeus calça liga. Adeus meia arrastão. Adeus salto alto. Uma mala de inutilidades... E muito frio.
De cara já senti o tamanho do seu desejo. Seus dedos atrevidamente tentavam me invadir... naquele taxi. Chegamos ao nosso ‘habitat’ e eu totalmente pronta, jorrando... uma gruta que se tornou uma fonte jorrante...
- De quatro!
- Sim, Sr – assim meio relutante, mas obediente.
Aquele belo cacete já procurava se acomodar entre meu calor de fêmea. Como foi delicioso senti-lo dentro em mim, me aquecendo de uma forma tão dele, tão gostosa. O seu vai vem me fazia vibrar e quase chorar. Dor e tesão num mesmo momento. Às favas com a dor.
- mais... mais... – pedia eu. Ahhhhh!!!!! Um lado masoca?!! Que que é isso? Insanamente a boca pedia o que o corpo desejava: sentir o contato do Dono. Sentir o Domínio do Mestre. Sentir que quem manda é Ele. E ele fazia mais... até senti-lo derramar dentro em mim... delícia!... Que gostoso! Mas eu queria ainda mais... queria sentir seu sabor em minha boca. queria aquecê-lo com meus lábios..
Sua voz autoritária, seu olhar perscrutador... dava vontade de fechar os olhos e esquecer o mundo e me jogar aos seus pés e lá ficar beijando, cheirando, servindo... como escrava dele que sou, que lhe pertence. Senti o calor de Tuas mãos em minhas ancas; o cheirinho de couro do Teu cinto e depois o seu sabor quente passeando pelas pernas e bundas... o frog com suas pontas deslizavam em minha gruta, fazendo delirar não de dor, mas de desejo. O Teu carinho. És um homem encantador.
Totalmente encharcada para depois Te sentir me re-invadir sem dificuldade... pois estava naturalmente lubrificada, jorrante... durante todos aqueles dias em que pude estar à Tua disposição para Te servir. Pois nada sou além de Tua serva. Viverei para teu prazer.
Queria mais... ir mais além. Aprender mais. Fazer mais... Ah! mais o tempo. Maldito o tempo que nos impedira de ir mais. De conhecer mais, de entregar mais... Preciso ser explorada. Preciso ser ensinada, corrigida... Preciso do meu Sr...
Ficará sempre a porta aberta para outra oportunidade. E dessa vez o tempo não fará escapar o desejo guardado pronto para ser entregue, usada por Ti, Sr.

sábado, 23 de setembro de 2017

sábado, 9 de setembro de 2017

CONTORNOS




 


E esse sabor de intenso prazer

de contornos languidosos

úmidos, leitosos... 

com o tempero de tua marka!

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

NO DIA A DIA


No dia a  dia da serva
sua postura
seu querer
sua servidão
é sempre a atitude
que completa
a ação 
do momento

sábado, 15 de abril de 2017

AS MARKAS

 






as boas markas de um encontro
são aquelas em que Tua marka
deixa a marka de Tua presença


segunda-feira, 10 de abril de 2017

É ASSIM TUA SERVA

Amor e sedução
paixão e devoção
entrega e dedicação
escrava e servidão
eis assim Tua serva
sempre à Tua disposição.





terça-feira, 28 de março de 2017

TU COMPLEMENTAS MINHAS TARAS


entre águas, 
rios 
e córregos de desejos
flui o gozo, 
de fato, 
no ato do prazer 
pois
Tu complementas
 minhas taras...

tua serva ylena

 


 

quarta-feira, 22 de março de 2017

EU QUERIA TER UMA COLEIRA VIRTUAL




Nos primórdios de meu aprendizado e conhecimento BDSM, principalmente em salas de bate papo UOL, pude ver as pessoas, submissas, desfilando com suas "coleiras" virtuais. Aquilo me dava uma inveja! Principalmente quando as 'meninas' diziam, eu tenho um Dono!...
O que é a coleira virtual? É o nome do bottom, seguido pelo nome de seu Top. 'Miudando': o nome da submissa seguido pelo nome do seu Dono. serva ylena di ..... ou (serva ylena)_.....  enfim, pode ser grafado da forma que for escolhida pelo Dono ou em comum acordo com a sub. Eu cheguei a usar isso, mas não entendia, nem sabia a extensão do significado e simbologia  da coleira. 
Eu não compreendia a seriedade, o respeito e a obediência em se vivenciar uma vida com estilo  D/s. Quando tive a oportunidade de  um contato com o Mestre, pude ir assimilando o que era cada coisa, principalmente pela forma íntegra com que Ele transmitia as facetas do BDSM. 
De animosidades para o concreto. Num primeiro momento da real realidade pude já sentir na pele e no corpo o que o BDSM poderia me proporcionar. E eu gostei. Queria mais.
Enveredei-me por conselhos errados e perdi a chance de um contato mais intenso com o Mestre. Mas todas as Markas que foram traçadas no decorrer dessa caminhada, nem se comparam com as urzes que também foram tiradas.
Houve momentos em que a desistência parecia ser a solução para tudo. Mas a mesma desistência era o problema. Porque aquela mulher, feita de conhecimentos acadêmicos não se sentia mais livre dos desejos SM que permeavam sua mente, queria uma coleira, queria sua liberdade, aprisionada numa masmorra de sentimentos conduzidos por um Sr, pelo O Mestre
A primeira impressão BDSM foi extremamente markante. Markas essas ratificadas com o decorrer do tempo, onde o desejo da "coleira" era quase uma obsessão. Uma prova de que essa serva não era fake. Não era virtual. Era uma fêmea com reais desejos de submissão. 
Corri atrás de literaturas, sites, blogs, conversas com todos que aparentemente poderiam agregar mais conhecimento nessa minha jornada BDSM. Como já frisei, amiúde, alguns só se aproveitaram da minha inexperiência,  inocência... Mas isso também fez parte do meu crescimento, da minha construção de serva. 
Não sei se terei uma "coleira virtual". Ou qualquer tipo de coleira.
Eu, uma mulher...e hoje eu, Serva -  serva ylena.