<                           

























Mostrando postagens com marcador DESEJOS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador DESEJOS. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

ESPERO QUE ESTEJA TUDO AQUI!


Vou pensando aqui com meus botões. Tantas coisas passam pela mente.
Arrumando aqui essas coisas, encontrei umas velas de Natal. Aí pensei em velas. Sei que velas é para iluminar, embelezar. Mas creio que no bdsm serve também para exercitar o prazer sádico do Top e assanhar o fogo de algumas submissas. Nunca usei, mas confesso que a curiosidade aumentou, apesar de que não saberia qual seria a ideal.
Pedi algumas coisas, poucas - 3; acaba de chegar uma -  o bastão, mas nem conferi, já empacotei na mala juntamente com velhos desejos. Ainda não sei exatamente quais seriam  os acessórios, digamos, mais indispensáveis pra deixar uma mala bem completinha. Mas espero que  possa descobrir logo, logo. Assim seria mais interessante a mim e para o momento que deles precisar.
Quando se compra pela internet, a forma de envio faz toda diferença! Umas são mais rápidas, outras mais delongadas, atrasadas causando alguns contratempos, mas nada que venha impossibilitar uma boa sessão, por exemplo. 
Creio que dentro de algum tempo precise mudar a maleta para melhor acondicionar os pertences. Visto que a intenção é de fazer a 'família' crescer.
Fiquei admirada assistindo De Pernas Pro Ar ( 1 e 2). A coleção de acessórios que ali são mostradas é coisa de enlouquecer qualquer mulher. É impressionante!
Mas o importante mesmo, creio, não seja apenas uma coleção de brinquedos que erotizam,  mas o momento de compartilhar da presença do Mestre, pois há tantas formas de entrega, tantas formas de se proporcionar satisfação que por vezes esses elementos nem são necessários...
O que comer? O que não comer? O que fazer? Muitas perguntas para esta cabecinha. Eu, gostaria de saber, por exemplo o que meu Mestre apreciaria, gostaria que tivéssemos um momento em que pudéssemos esquecer tudo e viver esse momento extensivamente de prazeres. 
Ai... ai...

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

MISCELÂNIA DE PRAZER





O Brasil é um imenso torrão repleto de diversidades. Com uma culinária riquíssima e  variada. Não tenho frescuras com comida. Como praticamente de tudo. Adorei a culinária paraense, o peixe frito com açaí e farinha de goma. Gosto também das cores amareladas, diferenciadas da arquitetura de Belém. Mas nada se compara com o camarão seco do Maranhão, com um arroz branquinho e soltinho temperado com cheiro verde e alho. Me perdi nas bolos de queijo e docinhos Mineiros. Dá de esquecer o mundo. Agora a maria-isabel do Piauí é coisa de louco, quando vem acompanhado com um creme de galinha, vinagrete e paçoca. Comi. Comi também o vatapá e acarajé; forte como a Bahia. Me empanturrei de massas paulistas - sanduíches, pizzas e yakissoba (não gosto muito). No Ceará comi muito peixe de água salgada. Já em Brasília, apreciei  as frutas e também o pão de queijo. Mas no Rio de Janeiro, ali esqueci minhas raízes e me envolvi totalmente com os pratos. Até porque as pessoas que costumam me hospedar possuem dotes culinários espetaculares. São "chefes"  na cozinha.
E é justamente nesse ecletismo que sinto florescer cada vez mais meus desejos bdsm. Uma miscelânia de desejos e práticas diferenciadas que satisfazem o "paladar" do corpo e dos desejos.
Há no bdsm uma coisa intriguista, que o torna bastante peculiar. O bdsm não é algo cerceado a uma classe, ou grupo de pessoas específicas e determinadas. É para todos aqueles que querem sentir este prazer. Não depende do Continente, do país, da religião, da cor, do tamanho, da altura, das condições financeiras. É um  mundo onde todos se equalizam pelo prazer. Todos sentem sensações, quer na dor, quer na 'não dor'. Não importam que práticas se realizam, TODOS, indistintamente sentirão seus desejos preenchidos ou satisfeitos de alguma forma.
Quero me "empanturrar" de tudo o que posso absorver nessas diversificadas práticas bdsm. 
Afinal, ainda não gosto de certas 'culinárias' porque ainda não conheço seus sabores ou não fui apresentada a elas ou vice-versa. De igual forma o Bdsm, ainda não fui apresentada a algumas práticas por isso não posso dizer que gosto ou não gosto das mesmas. 
Mas não tenho 'frescuras' para comidas, nem para um novo aprendizado...

 

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

ACORDOANDO DESEJOS....


todas as cordas e acordos das amarrações



Vem, assim meio sussurrante... meio calmante
meio calmaria
meio tempestade
acordando todos os desejos latentes...

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

ESCUTEI OS MURMÚRIOS DE MEU CORAÇÃO








Cidália Ferreira
http://coisasdeumavida172.blogspot.com.br/2017/08/escutei-os-murmurios-do-meu-coracao.html




Desinquieta, deixei a cadeira vazia
Saí... à procura de ti.. do meu eu
Das minhas palavras
Dos meus sentimentos entrelaçados
Dos meus momentos de poesia
Dos meus segredos,
Talvez dos meus devaneios, sei lá, 
Procurei o motivo porque ainda existo,
.
E por isso, procurei o teu aconchego
Entre as névoas, belas, instigantes
Que se entrelaçam em meus pensamentos, proibidos,
Mas neste silêncio, onde nem o vento ouvia
Escutei os murmúrios do meu coração
Em palavras silenciadas na saudade,
Porque só tu, me deixas na verdade
Desinquieta, por pensamentos e desejos constantes.

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

PORTAS

há portas que se abrem
esperando algo entrar
essas portas escancaradas
querem ser transpassadas...
há portas que fecham
depois de serem transpassadas...

sábado, 26 de agosto de 2017

A JOIA DA SIGNIFICÂNCIA



 Joia de raro valor, não pelo preço
mas pela sua significância
seu sentido
no pescoço de uma serva.
Coleira de pertencimento a um Dono
qual submissa não aspira, 
não anela, não deseja?
Seu vale excede muito mais 
que um anel de ouro no dedo.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

CONEXÕES






São nessas conexões conectadas
que me esvaio, me desmancho
me completo, me "intero"
Contigo tudo faz sentido (ou não)
mas pouco importa.
Carrego em mim essa Marka
que se perpetuou nos meus momentos
e em todos os meus desejos.
Traga-Te eternizado em mim!
Adoro-TE, Mestre!


SE EU PUDESSE...

Se eu pudesse traria para Teus pés
todos os Teus desejos
os mais secretos
os mais escrachados
ou quem sabe os mais puros...

Mas queria fazer parte deles...



quinta-feira, 24 de agosto de 2017

ELE ERA FOGO...



Ele era fogo
Ele era larvas
e ela...
ela simplesmente adorava se queimar
e ser queimada
queimada por Suas larvas
queimada por Seu fogo de tesão





quarta-feira, 16 de agosto de 2017

ODORES E SABORES...


 que embriagam
e satisfazem

O SENTIDO


 


Qual sentido teria o sentido 
se não sentisse todos os sentidos?
o Sentido do sentido
o momento
o receber
o sentir
o viver
a coroação
o gozo  se inicia  com  
as primeiras palavras
os primeiros momentos
os primeiros acordes
o desejo
o toque
o corpo
o calor
o suor
o molhar
o gozar...
enfim,
a marka!

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

POEMAS ERÓTICOS



Carlos Drummond de Andrade

Amor – pois que é palavra essencial

comece esta canção e toda a envolva.
Amor guie o meu verso, e enquanto o guia,
reúna alma e desejo, membro e vulva.

Quem ousará dizer que ele é só alma?
Quem não sente no corpo a alma expandir-se
até desabrochar em puro grito
de orgasmo, num instante de infinito?

O corpo noutro corpo entrelaçado,
fundido, dissolvido, volta à origem
dos seres, que Platão viu completados:
é um, perfeito em dois; são dois em um.

Integração na cama ou já no cosmo?
Onde termina o quarto e chega aos astros?
Que força em nossos flancos nos transporta
a essa extrema região, etérea, eterna?

Ao delicioso toque do clitóris,
já tudo se transforma, num relâmpago.
Em pequenino ponto desse corpo,
a fonte, o fogo, o mel se concentraram.

Vai a penetração rompendo nuvens
e devassando sóis tão fulgurantes
que nunca a vista humana os suportara,
mas, varado de luz, o coito segue.

E prossegue e se espraia de tal sorte
que, além de nós, além da própria vida,
como ativa abstração que se faz carne,
a ideia de gozar está gozando.

E num sofrer de gozo entre palavras,
menos que isto, sons, arquejos, ais,
um só espasmo em nós atinge o clímax:
é quando o amor morre de amor, divino.

Quantas vezes morremos um no outro,
no úmido subterrâneo da vagina,
nessa morte mais suave do que o sono:
a pausa dos sentidos, satisfeita.

Então a paz se instaura. A paz dos deuses,
estendidos na cama, qual estátuas
vestidas de suor, agradecendo
o que a um deus acrescenta o amor terrestre.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

QUEM É VOCÊ?






Isolda e Eduardo Dusek

Quem Será Que Me Chega
Na Toca Da Noite
Vem Nos Braços De Um Sonho
Que Eu Não Desvendei
Eu Conheço O Teu Beijo,
Mas Não Vejo O Teu Rosto.
Quem Será Que Eu Amo
E Ainda Não Encontrei
Que Sorriso Aberto
Ou Olhar Tão Profundo.
Que Disfarce Será Que Usa
Pro Resto Do Mundo.
Onde Será Que Você Mora
Em Que Língua Me Chama
Em Que Cena Da Vida
Haverá De Comigo Cruzar
Que Saudade é Essa
Do Amor Que Eu Não Tive
Por Que é Que Te Sinto Se Nunca Te Vi
Será Que São Lembranças
De Um Tempo Esquecido
Ou Serão Previsões
De Te Ver Por Aqui... Então Vem!
Me Desvenda Esse Amor
Que Me Faz Renascer.
Faz Do Sonho Algo Lindo
Que Me Faça Viver.
Diz Se Fiz Com Os Céus Algum Trato
Esclarece Esse Fato
E Me Faz Compreender.
Esse Beijo, Esse Abraço Na Imaginação
E Descobre O Que Guardo Pra Ti
No Meu Coração
Mas Deixa Eu Sonhar, Deixa Eu Te Ver.
Vem E Me Diz: Quem é Você