Mostrando postagens com marcador DICAS BDSM. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador DICAS BDSM. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 17 de julho de 2018

POR TRÁS

E quando tu chegas assim
por trás
invadindo territórios
derrubando barreiras
retirando obstáculos
preenchendo cada espaço
com tua presença markante
que loucamente  me sacode
me arregaça
e vai plantando em mim
esse plantel de desejos
luxuriantes
eu deliro em teu cacete!...


quarta-feira, 11 de julho de 2018

sábado, 7 de julho de 2018

SAFEWORD = PALAVRA DE SEGURANÇA


Fala-se muito sobre a SAFEWORD, ou palavra de segurança. Eu mesma algumas vezes já abordei esse tema, aqui nesse blog.
E sou de parecer que a safeword é QUASE que absolutamente desnecessária, quando há consensualidade, reciprocidade, confiabilidade e conhecimento entre que serve e quem é servido. Pois todo TOP precisa ter maturidade, equilíbrio e responsabilidade para saber não apenas conduzir uma sessão bdsm, mas cuidar da sua submissa. Afinal, ela está entregando a ele sua maior riqueza: A PRÓPRIA VIDA. 
O Mestre que orienta sua serva, que a ensina, que a constrói e a molda, saberá ou terá pelo menos percepção em desvendar os limites por ele construídos nela.  Ele, supostamente, saberá quais os limites ou até onde ele pode ir ou ela pode ir.
No entanto a SAFEWORD pode servir de paliativo ou de segurança no sentido de inibir ou coagir abusos por parte do dominador ou limites não suportáveis pela submissa.
A palavra deve ser algo fácil lembrar, mas não algo que poderia enviar uma mensagem confusa para o dominador.
Embora realmente não haja uma regra definida sobre as palavras de segurança, uma boa pedida é ter uma que seja simples e possa manter o princípio da consensualidade vivo e acima de tudo dentro do contexto do jogo BDSM, que é o maior fetiche dessa relação.
A palavra de segurança serve como um sinal. Ela diz ao Top PARAR ou retardar o que eles estão fazendo. É uma palavra ou gesto que pode e deve ser usado se a submissa está experimentando um sentimento ou sensação de que ela considera além da sua tolerância ou habilidade. 
Cito alguns casos extremos em que a safeword pode ser usada: no caso de uma cãibra, falta de ar, ataque cardíaco, crise de asma, queda ou aumento de pressão, embriaguês (em hipótese alguma uma submissa deve submeter-se a uma sessão em que o dominador esteja bêbado ou em caso extremo estar sob o efeito de drogas), hemorragia intensa, agressão com ferimentos graves como corte ou dilaceração da carne.
Mas ainda insisto em que o limite deve ser, além de consensual, delimitado pelo dominador, quem é que realmente tem o domínio da situação.
 Por isso Tops PRECISAM ser equilibrados para serem TOPs!
Afinal, o objetivo FINAL é o PRAZER de AMBOS.
  

sexta-feira, 22 de junho de 2018

segunda-feira, 18 de junho de 2018

CAVALETES

Estrategicamente
um lugar para enlarguecer o prazer
alimentar a paixão
e markar o tesão:
cavaletes.



sexta-feira, 15 de junho de 2018

DESEJEI...

Confesso-TE que hoje desejei sentir aquela Tua impetuosidade, aquela ousadia mesclada com desejo que faz o corpo delirar e o tesão aflorar. Hoje sentir um intenso desejo do toque de Tua mão; desejo de Teu hálito quente, envolvente.
Que desejo desgraçado sentir de Ti!
Aquele sentir que fez a buceta estremecer e desejar...
desejar Tua mão
desejar Teu cacete
desejar Tu.
Desejei...
DESEJO-TE, mestre Markante e adorado!
 


quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

PEGOU LEVOU, É SUA...

 
 
 
Imagine se a vida fosse assim: 

você chegava, pegava e levava. 
Pegava uma serva 
e a levava para uma aventura 
regada a muito tesão, fetiches e desejos. 
Construindo cada momento
com uma marka diferenciada,
mas sendo a mesma marka.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

O LOUCURA DOS PLUGS


Eu sempre gostei de viver intensamente os prazeres. Nada de limitar, de ''regrar' o tesão.
Eu já fiz loucuras que hoje as acho quase banal, ou comum, vamos assim dizer.
Mas uma das mais loucas foi encontrar o Mestre, totalmente nua, digo, sem calcinha, com dois plugs enfiados: um anal e outro na buceta. Hoje, posso dá-me o luxo de ri dessa insandice.
Preparei-me para um delicioso almoço na maravilhosa presença do Mestre. A depilação foi completa. Tudo lisinho, limpinho. E a fêmea se armou de sua sensualidade: saia, blusa solta, saltão, bolsa... e lá se foi ela.
Anteriormente passou o dia lendo aqueles maravilhosos contos BDSM, no site  contosbdsm, o que provocou uma deliciosa irrigação nos canais e fontes de prazer. Além disso com o auxilio de um milagroso tubinho de ky para completar o serviço. 
Tudo enfiado nos devidos buracos, lá se foi ela, em seu rebolado; a fricção das pernas, coxas e os próprios plugs iam lubrificando cada vez mais a buceta e começou o 'aperreio'. Totalmente encharcada, os amiguinhos começaram a ficar folgados e quer cair pelo meio da rua.  A solução foi caminhar apertando mais ainda coxa contra coxa, como forma de segurá-los. 
Foi um alívio entrar no restaurante e poder sentar e ficar quietinha, sem se mexer um milímetro. E desejando ansiosamente a presença do Mestre. E quando aquela imagem linda, maravilhosa, instigante me surge; para mim, de uma sensualidade exorbitante. Adorado.
Compromisso concluído. Olhei para os lados, poucos clientes, entrei num banheiro masculino - essa era a senha para o Mestre seguir. E ali (prendi a respiração), simplesmente 'arreganheia perna para o lado e ele pode retirar aqueles cacetes, me fazendo delirar e me segurar para não gritar de tesão.
Fiquei com os brinquedinhos na mão e ele se mandou.
E agora o que eu deveria fazer? Saí de ‘fininho’ para o banheiro feminino ao lado e os guardei na bolsa. Tremendo de vontade de tê-lo (o Mestre) a me invadir... Dei um tempo muito curto. Ri. E me mandei para o trabalho. Foi ou não foi os ‘máximus’ de loucura bdsm?

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

A - CORDA

Eu não entendo nada de bondage, nada de shibari - técnicas de amarrações. A única coisa que entendo é de desejo, de paixão. E sempre que Contigo tenho algum contato, fico cada vez mais amarrada em Ti. Disso eu entendo. E como entendo! Porque Tu tens o dom de me markar, de me amarrar, de me prender...

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

APERTO

 Quero te apertar em mim 
e sentir  teu membro ereto
explodir em gozo sem fim!

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

REVERENCIO À SUA CHEGADA

 
Já posso sentir o cheiro de Tua chegada com esta ousadia característica, recheada de desafios hidratados, que a mim servem de escada para chegar ao topo dos nossos desejos lubrificados. E hoje, como nunca! Agora desejei ser uma vinha para destilar esse licor embriagante...
Por isso, efusivamente Te saúdo, oh Adorado Mestre e Senhor!

quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

OLHAR PEDINTE!

 
Outro dia fiquei observando uma vira-lata de rua na porta de uma lanchonete. Resolvi parar um pouco para tomar um caldo de cana (nem gosto de fazer isso), mas como já fazia mais de 3 anos que tinha tomado um e o calor estava escaldante, parei e pedi, com bastante gelo. Foi uma delícia sentir garganta abaixo aquele líquido gelado, super refrescante. Satisfiz-me!
Mas o que me chamou mesmo atenção foi a cadelinha, ali, parada, de olhar pedinte, querendo algo, uma atenção, uma refeição; traduzi assim: cadelinha querendo satisfazer algum desejo que lhe trouxesse plena satisfação. Quando finalmente o dono da lanchonete resolveu dá-lhe algumas migalhas do que sobejavam nas bandejas deixadas pelos clientes.
Foi exatamente assim que interpretei o olhar dessa "cadelinha" submissa. Um  olhar pedinte  e/ou atento às  ações de seu Mestre. De prontidão! Pronta para obedecer, para agi, para fazer as coisas acontecerem.
O caldo de cano agora faz parte de um dos prazeres remotos. Eliminando muita coisa supérflua para poder alcançar objetivos mais  interessantes. Afinal tenho um grande desafio a cumprir, e um curto caminho a percorrer. Não posso perder tempo com migalhas que me desviem do principal propósito.
Não é mesmo, Mestre?

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

ÉS TU, QUE MARKA!

Tu me dás o tema
Eu escrevo Teus passos
Sigo Teus traços
Porque
Tu és o lema
Tu és a rima
Tu és a inspiração
Tu és a própria poesia
És Tu que Marka!

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

PRELÚDIO INICIADO


Um amor que se mede é um amor com resquícios de muita pobreza.  Por isso que meu amor bdsm é um plantel de riquezas imensuráveis; de uma construção cheia de preciosas pedras.  Daquelas que nem sempre as mãos podem apalpar. Aí eu vou com Shakespeare:

“O amor é uma fumaça formada pelo vapor dos suspiros. Alentado, é um fogo a brilhar nos olhos dos apaixonados. Revolto, é um mar nutrido pelas lágrimas dos amantes. Que mais será? O amor é uma loucura sensata, um fel que adoça, uma doçura que amarga.”

Meu adorado Mestre, Dom Marka, gravastes em minhas carnes, em minha pele, em meus desejos este Teu domínio acentuado, de cunho imensurável; completado através das 'viagens' de tesões que foram e são sempre proporcionadas. Essas viagens que sempre começam quando nos encontramos, ou não. E que estão sempre se renovando, se reinventando, com novos componentes, com novos acessórios, com novos ingredientes. Cada parada é uma descoberta.
Quantas loucuras lúcidas! Sem precisar conter impulsos, regrar desejos, coibir fantasias. Contigo, quero todas as viagens plausíveis e possíveis! Quero seguir todos os caminhos retos ou curvos! Quero levar todas as bagagens pesadas ou leves! Quero ser uma colmeia completa, sendo preenchida por ‘méis’ de Tuas taras, bem melados, lambuzados, untados; aferroada de prazeres carnais, naquela lascívia luxuriante que Tu provocas e transmites.
Tu és um incentivo particular em minha andança de fêmea. De serva. E em Tua homenagem esta semana brinquei demais. Uau, Mestre adorado! Treinando cada vez mais, abrindo cada vez mais... Será meu ‘presente’ a completude daquela invasão iniciada e ainda não concluída. Por isso este esforço particular em sentir...
Olhando aqui aquele gigante... Mil ideias, mil desejos. Nunca me sentir tão ‘vadia’ como esses dias... Poros exalando essa depravação, esse desejo que me deixa pulsando por Ti...
Noutro momento descrever-Lhe-ei o que vivenciei...

domingo, 17 de dezembro de 2017

ATOS E ATOS!





Entrelaçamentos perigosos
daqueles que atam estando livre;
mas para que mesmo a tal liberdade?! 


sábado, 16 de dezembro de 2017