Mostrando postagens com marcador ENSINAMENTOS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ENSINAMENTOS. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

É FODA ANAL!



É de conhecimento geral que a prática do sexo anal data desde a antiguidade, portanto existe há milhares, senão milhões de ano atrás. Essa forma de provocar prazer desperta cada vez mais o interesse e a curiosidade das pessoas no mundo todo.  É um dos temas campeões de buscas na web. E é disseminado, também, através de livros, filmes, peças entre outros meios de divulgação. O fato é que o famoso ânus: é um ‘buraco’, um orifício, uma estrutura muscular rico em terminações nervosas onde é possível se sentir prazer. E vem sendo introduzido cada vez mais na cama e nos quartos dos brasileiros...

Dizem por aí:
- que a prática do sexo anal era natural na Mesopotâmia, inclusive fazia parte dos cultos religiosos dos Assírios.
- que Cleópatra era adepta do coito anal
- que Catarina a primeira mulher a ser czarina da Rússia era viciada em sexo anal.
- que era usado como método anticoncepcional.

       Quem gosta de brincar com o ‘rabo’ alheio (risos) sente um grande prazer em provocar dor e prazer, claro, senão não faria nenhum sentido. O sadismo e o masoquismo precisam andar de mãos dadas. Mas para que o sexo anal ocorra de forma prazerosa a excitação é fundamental para o esgarçamento e dilatação – quer na vagina ou no ânus –, só assim poderá se alcançar mais ‘profundidades’ e,  ir testando seu próprio limite.
Com a prática gradual, com treinamentos reiterados, pode-se permitir aberturas maiores até mesmo acomodando não só a mão, mas um braço até o cotovelo ou mesmo mais (uau - mas nem tentem isso). Claro que é essencial o uso de lubrificação, tanto natural quanto química (géis), que não seja à base de água; unhas aparadas, luvas; relaxar fazendo força, como se fôssemos evacuar, enfim, alguns acessórios para que o momento de prazer seja tranquilo. De preferência que o intestino esteja adequado, limpo de dejetos., com uma boa lavagem, um enema, duchas...
       Isso se chama fisting e vem do inglês, “fist”, que quer dizer pulso. É um prazer de dilatação profunda que a cada dia desperta curiosidade e desejos de muitas pessoas. Inclusive em mim. O famoso ‘cu’ se abre todo, mas depois volta ao normal. Então porque não tentar ter prazer dessa forma? Desde que seja com moderação...
Confesso que gostaria, sim, de sentir a sensação de uma mão a me fistar, me abrir, me provocar prazer, sentir a buceta babar. Não qualquer mão, mas a mão do meu Mestre, óbvio! Já passei num sexshop e adquirir uns plugs (diversos tamanhos) para provocar minha excitação e produzir prazer... Então fui brincar... e brinquei muito, várias horas, vários tamanhos, várias velocidades... Sentir-me alargando e a cada dilatação o desejo de abrir-me era ainda mais acentuado. Fudi-me a mim mesma de diversas formas, variadas posições... Fui ao extremo do gozo, deixei a buceta escorrer... Cacete! Como desejei a presença do Mestre a contemplar e participar dessa aventura ‘arrombática’. Sentei-me no ‘touro’ (novo apelido para o plug) e então na minha fúria erótica pude corcovear sobre ele, liberando uma respiração esbaforida pela boca entreaberta, como se estivesse sendo esporada com vergões... vergões de prazer, e assim espatifei-me na cama, naquele quarto onde o ar condicionado parecia o sol ante o fogo em larvas que soltava deste corpo de serva, com o pensamento conectado ao seu  Mestre adorado.
       Cavalgadas, esfregaços, taponadas... foi feito tudo que um prazer tem direito. Com tudo isso, espero estar me preparando cada vez mais com novas aventuras em novos momentos, para o prazer do amado e eternamente desejado Mestre, Dom Marka.


sábado, 16 de dezembro de 2017

É NATURAL


É natural sentir Tua falta
É natural pensar em Ti
Lembras-Te?
Tu chegastes em minha vida
markando territórios
limitando liberdades
controlando sensações
É natural querer Te encontrar
É natural querer Te ver 
sentir Tua voz de comando
Tua marka invadindo
tocando, remexendo
empurrando
provocando indescritíveis sensações
É natural ir ao Teu encontro
seja aqui, ali, acolá,
É natural Te chamar de Mestre, de Senhor, de Dono
pois é natural que Contigo assim eu me sinta
É natural me achar serva, escrava, submissa
É natural seguir Tuas sendas, Teus passos e Teus traços
É natural sentir saudades de Ti...
É natural desejar Tua Marka!

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

FOI...



Foi naquele momento
em que o calor do Teu toque 
emaranhou-se com minha pele 
e sensações eruptivas 
exalaram em meu corpo
 (Teu).


terça-feira, 14 de novembro de 2017

TUAS COSTAS





É quando Tu te vais... 
Deixando tua marka pelo caminho que Tu passas, 
teu andar felino,  sensual, dominador
Onde o final é sempre assim: Tu te indo e eu ficando,
vendo apenas Tuas costas a sumir entre os espaços...
Deixando cunhada em mim essa maldita saudade
Levando meu nome, minha essência submissa
que só volta a ser brilhante quando contigo Te encontro.
Todo mundo possui dois nomes:
- o nome do documento
- e o nome do coração,
O meu nome de coração, é meu nome de servidão 
é o nome que Tu escolhestes para a mim chamar
E quando Tu me chamas, eu sei que realmente és Tu!
Somente Tu me chamas da tua forma peculiar,
única, particular
Mesmo ao virar as costas e ir para  Teu mundo,
eu sinto ainda tua voz a me chamar:
nas noites que em Ti penso,
nas madrugadas acordada, treinando, gozando,
gemendo, clamando por tua presença
Eu Te sinto me chamando, quando pelas ruas ando
a observar andares, passadas, rostos...
Te vendo nalguns, Te imaginando noutros
Deixando para trás todos os começais
Para que não haja um apego deles,
porque de alguma forma, nalguns momentos
eles encontram a cocada preta em mim.
Quando Te vejo pelas costas, se esvaindo, sumindo...
o olhar petrifica para Te memorizar,
a boca se comprime  para não gritar Teu nome e pedir que voltes...
E Tu te fostes e eu fiquei  com esse tesão que evolui em mim SEMPRE que conTigo   me encontro.
Desejo louco em Te encontrar, novamente, Mestre!

  

FAZER-TE MINHA ESCRAVA

 
 




Camarosi


Vou trazer-te para o meu mundo.
Fazer-te escrava do meu prazer.
Ensinar-te que meus tormentos te elevarão.
Farão com que sinta prazeres extremos.
Gritos de aflição misturados ao prazer intenso.
Tua carne ficará markada com meus castigos.
Farei teu corpo sofrer ao meu bel prazer.
Tirarei tuas vontades e imporei as minhas.
E aprenderás a me respeitar e a confiar.
Confiança de corpo e alma.
E me entregará nestes sacrifícios o teu mel.
Teu gozo será meu...Teu êxtase será meu clímax.
Te permitirei implorar minhas vontades brutas.
Deixarei suplicar por minhas atrocidades.
Darei a você, dores lancinantes até onde suportar.
Penosas punições irei te infringir.
Te limpar dos preceitos morais.
Te ensinar sobre a doutrina da escravidão.
Em teus suplícios, regozijasse-a na dor do tesão.
Após amainar tua febre insana deste louco querer .
Depois de mostrar-lhe a compensação de sua serventia.
Tua obediência será um simples sacrifício.
Teus Nãos...Serão sempre aos meus comparativos.
Não quero que faças...Não farei meu Senhor.
Não farás nada que me contrarie.
Não deixará que seus caprichos interrompam os meus.
Não fará das suas vontades as minhas.
Não me dirás não, não me desobedecerás.
E terás, os meus mais devassos quereres.
Sessões de pura luxúria para me satisfazer.
Doação total as minhas insanidades grotescas.
E aprenderá a amar todas as minhas loucuras.
Minhas palavras irão fazer teu sangue ferver.
Minhas ordens irão afagar teus desejos obscenos.
E encontrarás em minhas mãos, teus segredos de mulher.
Não quero dominar a todas as mulheres.
Não tenho a mínima intenção disto ocorrer.
Quero o domínio sobre você.
Pois teu corpo despertou em mim.
Esta febre insana de te possuir...