<                           

























Mostrando postagens com marcador ENSINAMENTOS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ENSINAMENTOS. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

LIÇÕES QUE A VIDA TRAZ




Foi muita expectativa. Muito desejo. E por descuido, como aquele fiozinho que escapa da mão. Pluft! Acabou sem nem começar. Ficando assim um misto de tristeza, impotência, raiva, fracasso. Revolta.  Choro, choro.
Apesar dos pesares foi uma grande lição com um aprendizado que nunca será esquecido, por que esta serva aqui, a partir de então fará uma rotação de 360º em tudo. A começar em si, uma mudança radical em todas as áreas. Novos hábitos. Novas posturas. Novos tudo. Vou parar de emprestar minhas coisas para terceiros.  Sempre destroem, danificam.
Ontem tinha feito uma “limpeza”. Um bota fora, mais de 50 pares de sandálias, sapatos e botas para a doação. Objetos de casas,  roupas. Inclusive uma que hoje uso. Por falar em roupa, hoje olhei a roupa que conheci o mestre há algum tempo, anda comigo, agora. Está guardadinha, bem pertinho.  Será que consigo chegar lá de novo? Um desafio.  Por isso novos projetos...
E agora mais do que nunca vou treinar. Vou virar uma serva ‘atleta’ com práticas que sejam aprazíveis ao Mestre. O Mestre é extremamente exigente.  
Recordar é viver, dizem, mas sei lá. Cada vez que recordo, tudo piora. Parece que as coisas ficam mais intangíveis. Recordar... Primeira vez. Primeiro fisting. Primeiro tudo. Há coisas que sempre queremos recordar e outras renovar.Tenho recordado muito ultimamente.
Finalmente, um novo brinquedo chegou. O bastão de massagem; não é lá essas mil maravilhas. Acho que as propagandas são mais enganosas que verdadeiras. Pois a velocidade não é tão velocidade assim. E os efeitos são meio tardios. Ou seja, uma hora depois do uso vi um resultado ‘melante’. E isso permaneceu por mais umas 4 horas. Isso sempre acontece. Dirigindo sem calcinha e a buceta literalmente babando. Minha vontade mesmo era ter o Mestre naquele momento e que ele pudesse ter feito uma conferência daquelas que só ele sabe. Enfim, estou, hoje, triste e com a buceta pulsando aqui, desejando tantas coisas.
Vou providenciar umas “vendas”. Olhos vendados trazem mais tranquilidade em certos momentos. Juro que não faço 'cera' com a dor. Eu até aprecio. A dor inicialmente é perturbadora, mas  depois ela se acomoda com o prazer. O pior é quando tudo da em merda. 
E hoje esta serva está triste e com raiva.  


segunda-feira, 11 de setembro de 2017

CONJECTURAS - AS ESCOLHAS




A vida é feita de escolhas. Umas boas, outras nem tanto. Há escolhas certas, há escolhas erradas.
Um dia eu escolhi trabalhar, estudar, escolhi ficar de cabelos loiros, escolhi ficar de cabelos lisos, escolhi  me senti sensual, escolhi uma coleira  (fui num pet e comprei uma e pus no pescoço e tirei uma foto para ver como eu ficaria de "escrava-cadelinha" – é... gostei de me sentir assim...

Mas um dia eu desejei ter um dono, ter alguém para dedicar um lado totalmente fora do convencional para muitos. Eu escolhi Te servir. Por diversificados motivos. Desejos despertados, confiabilidade, segurança, tesão, ensino, aprendizagem, exigências, autoridade, fetiche, erotização, etc. Escolhi abrir mão de um relacionamento comum para investir noutro mais diferente. ("AQUELE” relacionamento) tem lá suas virtudes, é belo, etc., mas..., mas  não tem  o que preciso que é SM (que é justamente o que ESTE pode me oferecer)...






Nalguns momentos, nessas escolhas, havia um leve conflito de interesses – entre a personalidade social e a personalidade fetichista. E de posse de muitas escolhas realizadas, corri atrás de uma escolha atrevidamente perigosa. A escolha de ser serva. A mais perfeita das escolhas se for bem aproveitada. O homem que tem o privilégio de receber a servidão de uma fêmea deve se sentir honrado em ser escolhido para tal.

Eu me sinto privilegiada em poder ofertar essa servidão a quem a mim traduz a junção de muitos desejos.

Eu escolhi abrir mão de uma vida convencional-social e decidi “viver a vida”. Em meio a tantas turbulências sociais, trabalhistas, familiares... Eu escolhi a Ti! Porque eu escolhi ser serva. E aprovado por TI como tal eu me sinto imensamente feliz!

Vou estar sempre pronta para Ti. Por que tu és meu escolhido!

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

APENAS NO DESEJO DE A TI SENTIR...


 




 é por debaixo dos panos, 
das cobertas invisíveis 
que posso Te tocar
e sentir Teu pulsar revelado...
o sabor que de Ti emana 
alimenta minhas fantasias 
e faz  reviver esses desejos de fêmea 
que em mim latejam.
Enquanto se vive, 
há sempre uma réstia de esperança viva... 
ou semi viva.




segunda-feira, 4 de setembro de 2017

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

TANTAS FANTASIAS


 Desenvolva e realize a sua!

Aqui,
 a serva é tanque de receber prazer...
e de dar prazer... 
Enfim...
o importante é que 
todos saem ganhando,
 satisfeitos e felizes...

domingo, 20 de agosto de 2017

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

COMO PODE?



Como pode não se sentir a presença imaginária
num toque inesxistente
daquele que faz parte persistentemente
da essência de uma pessoa?
Como poderia eu, uma simples serva Tua
não rememorar em meus momentos "a sós Contigo"
cada gesto Teu,
cada emoção traduzida nos agri-doces da vida
nos favos e mel, melados, gozados
nas sensações de preenchimento
de completude...
???
 Tu sempre fará parte dos meus loucos pensamentos e desejos, Mestre!

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

ESPERO-TE AINDA HOJE

   

 
Bela



Deito em meu travesseiro pensando em você
O sono demora a chegar
assim como eu demoro a te esquecer
Talvez o sono não chegue
Talvez eu jamais te esqueça

Entrastes em mim com minha permissão
Chegastes no momento exato
Da forma mais linda de se chegar em alguém
Meu coração te esperava
Viestes numa mansidão avassaladora
Como as gotas d'água de uma tarde chuvosa
Que causam estragos quando se unem

Meus sentimentos uniram-se à você
Tua mansidão. Minha espera.
Meu sorriso feliz ao avistar-te

Penso que podes ser minha,
que posso ser sua
Já sou sua?
Talvez não quero que sejas minha

Pertencer-te é um prêmio,
mas eu não fiz por merecê-lo ainda
As provações foram poucas,
os poucos anos que nos conhecemos
passaram-se numa rapidez surpreendente como se fossem dias.
Dias felizes ao teu lado sem estar contigo

Volto a sonhar,
mas é um sonhar acordado
como quem não deseja dormir
Como se pensar em ti fosse uma dádiva de 24 horas
Mesmo que sejam pensamentos repetitivos
Pela nossa pouca vivência juntas

Tua mansidão me surpreende
e me surpreendo ao esperar-te,
ao sonhar-te.

Estavas tão perto de mim,
Segundos me separaram de ti
foi-se para longe, mas assim vejo-te por inteira
onde fotografo-te no teu jeito,
nas tuas escolhas,
na tua solidão escolhida e desejada
Tua solidão de mim
Minha solidão obrigatória de ti

Posso ver-te indo embora
Levando contigo um sonho meu
Carregas os pés que toquei,
as mãos que senti,
o sorriso que me apaixonou.

Espero-te ainda hoje
e como hoje, todos os meus outros dias te esperarei
Revoltar-me não posso
Ou perco tempo em conquistar-te

Espero-te ainda hoje,
Com a certeza de quem aguarda
a luminosidade do dia que amanhece
e cada noite que se anuncia sombria
onde fecho meus olhos
abraço meu travesseiro
sonhando que ele é você. 
 
 

domingo, 30 de julho de 2017

LAYS EM BONDAGE - 4

 Sensualidade e sedução
nas cordas do prazer e do fetiche


Fotografia:  Beto Fernandes bf3 images  ( www.bf3.com.br )





 


quinta-feira, 20 de julho de 2017

O CORPO - O TEMPLO



CORPO
templo do servir
templo de recebimento
templo de entrega
templo de prazer
templo...
é no corpo que os deuses recebem as melhores oferendas
é no corpo que homem e mulher saciam suas libidos
é no corpo que se acoplam prazeres...
cuide do seu corpo
cuide de seu templo
cuide de seu prazer...

sexta-feira, 14 de julho de 2017

FÊMEA E SERVA



Ela era assim. Simplesmente fêmea. No auge de seus 35 anos de idade, num corpo maravilhado, com uma boca que se perdia em seduções. Parecia uma deusa de ébano, na sua pele extremamente perfumada. De olhar amendoado, escondido entre cílios e piscadas. Em cima de seus altos e provocantes saltos,  exalava cheiro de tesão. De perdição. De desejo. Mexia com a imaginação de homens e mulheres. Produzia fantasias em suas mentes, em suas ações. A ponto de receber convites todo momento. De ser chamada de gostosa, vem pra minha rede, ai se eu te pego, e coisas do gênero que mostram que o tesão aflora...
No andar, o traquejo rebolado de pura provocação, onde as ancas balançavam oferecidamente... Na sua mistura de sagrada e profana.  Uma fêmea ilibada em seus meios de convivências sociais. Acadêmica dotada de conhecimentos variados e multidisciplinares. Com uma vida cercada de pessoas idôneas...
Essa era a mulher, essa era a fêmea. No entanto, por traz dessa mesma mulher existia uma outra, composta da mesma matéria. Só que feita de sensações, de desejos e muita vontade de servir. Que descobriu nessa sua caminhada o prazer que uma marka poderia produzir numa vida – na sua própria vida.
Não estava atrás de transas fúteis sem sentido; não lhe interessada aventuras descabidas... Queria uma dominância de sentimentos diferenciados, com adrenalinas exacerbadas. Foi ai que entrou numa estrada conduzida por convidativas mensagens de prazer, o prazer testemunhado por quem por ele vivenciava. Instigou-lhe ainda filmes vários, conversas, vozes, imagens...
Não restava mais dúvida. Era esse o caminho do seu prazer. Ainda incompleto pela falta do ‘parceiro’. Onde procurar? Onde encontrar? E como caminhos cruzados, como o fogo que atrai a brasa, 'achou'  um único nome entre tantos. Foi ali, que começou de fato, sua caminhada bdsm. Não sabia de início se encontrara ali seu protetor de prazer ou seu algoz.
E naquele encontro, como uma oferenda oferecida aos deuses, ela foi ao encontro do seu destino; aquela fêmea pode se sentir de fato uma verdadeira “putinha”. Sim, pois entre o prazer entre um Mestre e uma serva não precisa de pudores. O prazer é rasgado, despudorado. As algemas eram os líquidos dos gozos.
O não querer  era cada vez mais querer...
E isso não era o fim, não era o início, era a continuação  do nascimento informe  e ainda inconsciente de uma serva. Uma serva que nasceu para ser o prazer de seu Senhor e seu Mestre.  E hoje ela tem uma marka em sua vida de mulher, em sua caminhada de serva. A Marka de um Dom!...



Essa história pode ser de qualquer submissa, pode ser a minha, pode ser a sua, pode ser daquela que deseja conhecer os prazeres que o mundo bdsm provoca e  acende... Não apenas em 50 tons de cinzas, mais em multicores tons de prazer... Deixe-se viver e gozar dos seus prazeres... Tente pelo menos!