Mostrando postagens com marcador ENTREGA BDSM. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ENTREGA BDSM. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 10 de julho de 2018

QUE SEJA LONGO...



Levas-me a desejar-Te mais que tudo
Levas-me a desejar que os dias correm
Que as horas passem
Que o tempo voe para que o momento
de estar ante Tua presença
aconteça...
E quando ali estiver
Quero que o mundo pare
Que o instante se prolongue
Que o momento congele
Que o dia não mais termine
Para que tudo seja eterno
Assim como meus desejos por Ti...

segunda-feira, 9 de julho de 2018

TEUS MANJARES

Tu me mandas
conhecer outras mesas
Provar de outros pratos
Experimentar  'sopas'...
Digas-me
Como posso experimentar
outras comidas ralas
depois de ter provado e me saciado
com Teus manjares?
Depois de ter comido
do prazer em Teu prato principal!
Impossível, meu Sr!
Pois Tu és entrada, prato principal e sobremesa
Manjar completo!

sábado, 7 de julho de 2018

O QUE TU ME OFERECES




O que recebo de Ti são prazeres embebidos de tesão
Tu me ofereces guisos de felicidades
Partículas de desejos
Que forma todo um conjunto de seduções
Vou experimentando um pouco de tudo
De coisa que Tu me ofereces
Ofereces-me sempre um novo modelo de vida
Uma vida para Teu prazer.

Posso dizer-te que é tudo de bom!

SAFEWORD = PALAVRA DE SEGURANÇA


Fala-se muito sobre a SAFEWORD, ou palavra de segurança. Eu mesma algumas vezes já abordei esse tema, aqui nesse blog.
E sou de parecer que a safeword é QUASE que absolutamente desnecessária, quando há consensualidade, reciprocidade, confiabilidade e conhecimento entre que serve e quem é servido. Pois todo TOP precisa ter maturidade, equilíbrio e responsabilidade para saber não apenas conduzir uma sessão bdsm, mas cuidar da sua submissa. Afinal, ela está entregando a ele sua maior riqueza: A PRÓPRIA VIDA. 
O Mestre que orienta sua serva, que a ensina, que a constrói e a molda, saberá ou terá pelo menos percepção em desvendar os limites por ele construídos nela.  Ele, supostamente, saberá quais os limites ou até onde ele pode ir ou ela pode ir.
No entanto a SAFEWORD pode servir de paliativo ou de segurança no sentido de inibir ou coagir abusos por parte do dominador ou limites não suportáveis pela submissa.
A palavra deve ser algo fácil lembrar, mas não algo que poderia enviar uma mensagem confusa para o dominador.
Embora realmente não haja uma regra definida sobre as palavras de segurança, uma boa pedida é ter uma que seja simples e possa manter o princípio da consensualidade vivo e acima de tudo dentro do contexto do jogo BDSM, que é o maior fetiche dessa relação.
A palavra de segurança serve como um sinal. Ela diz ao Top PARAR ou retardar o que eles estão fazendo. É uma palavra ou gesto que pode e deve ser usado se a submissa está experimentando um sentimento ou sensação de que ela considera além da sua tolerância ou habilidade. 
Cito alguns casos extremos em que a safeword pode ser usada: no caso de uma cãibra, falta de ar, ataque cardíaco, crise de asma, queda ou aumento de pressão, embriaguês (em hipótese alguma uma submissa deve submeter-se a uma sessão em que o dominador esteja bêbado ou em caso extremo estar sob o efeito de drogas), hemorragia intensa, agressão com ferimentos graves como corte ou dilaceração da carne.
Mas ainda insisto em que o limite deve ser, além de consensual, delimitado pelo dominador, quem é que realmente tem o domínio da situação.
 Por isso Tops PRECISAM ser equilibrados para serem TOPs!
Afinal, o objetivo FINAL é o PRAZER de AMBOS.
  

sexta-feira, 6 de julho de 2018

OS PECADOS CAPITAIS




Descobri que tu em mim desperta todos os 'pecados'. Pecados capitais. Tenho GULA insaciável, em ‘comer’ teu prazer. Minha AVAREZA transmite um apego sem preço à tua pessoa. A LUXÚRIA que tu provocas nesta serva extrapola os domínios de uma simples paixão, me transforma em fêmea. A IRA vem quanto não posso controlar o tempo para desfrutar sempre mais de tua presença. E assim vou morrendo de INVEJA dos caminhos por onde tu passas, das vozes que tu escutas, cobiço os toques dispensados a outras... A falta de tempo causa em mim PREGUIÇA em escrever, não por falta de desejo, diga-se... E digo-te tenho ORGULHO em markar em minha história que um dia eu fui, eu sou e serei tua serva, independentemente dos traçados do nosso destino.