Mostrando postagens com marcador ESCRAVA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ESCRAVA. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

CÁSPITA!








O dia amanheceu com cara de mormaço. Será que iria chover? Fiquei na torcida que sim. Quem sabe assim o clima tórrido dessa terra feita de sol ficaria mais calmo. Seria bom encontrar o Mestre com muita chuva. Toda “molhadinha”... Não passou de desejo, nenhuma gotícula de água. Sol. Sol. E mais sol.
Foi quase uma surpresa a convocação. Mas como esta serva outrora já repetiu: não importa o tempo, a estação, o horário, o dia, o mês, o clima, lugar... estará sempre à disposição do Seu Senhor quando por Ele for convocada, independente de data;  e será para seu Dono e Senhor, Escrava, Serva, Prazer, Servidão, Felicidade, Devoção e Entrega.
Sempre busquei preservar a vida do Mestre em todos os âmbitos. Por isso friso que jamais O incomodaria. Até porque nunca fui uma serva invasiva. Sempre respeitei os limites impostos pelo meu Mestre. E nem poderia ser diferente! Afinal, existo para trazer alegria e prazer à vida Dele e não perturbação. Obedecendo expressamente Suas ordens.  Até porque nosso envolvimento só diz respeito às nossas práticas BDSM.  Por isso esta serva entende e declara que não espera recompensa pelo seu bom comportamento, sendo este apenas uma obrigação nessa sua condição de serva e função precípua.  Apesar de que o Mestre a Parabeniza no final de uma sessão. Isso é um tipo de recompensa que enaltece a serva. Que quer dizer que de alguma forma o prazer alcançado, o objetivo foi concretizado. Um monte de estrelinhas sai dos olhos da serva em gratidão e felicidade.
Por isso esta serva sempre procurou demonstrar gratidão por tudo que seu Mestre lhe oferece. Desde o Seu tempo, o prazer proporcionado e quando lhe é permitido expressar isso, seja da forma que for. Através de palavras, de gestos ou apenas de um silêncio.
Mas a expectativa de Sua presença é sempre enaltecedora. As sensações são indescritíveis. Ele mexe comigo em todos os aspectos.
O som de Sua presença me faz entrar em desespero de desejos. Principalmente quando não sei o que virá a seguir. Se um carinho ou uma palmada. Se uma mordida ou uma cintada. Se um afogo ou outra ideia... Uma louca cavalgada, daquelas de deixar o coração a quase sair pela boca.
Pensei que sentiria na pele a cor do fogo. A cor da vela a aquecer uns desejos amalucados. Descobri que tenho um pouco de maluquez. Aliás, todos a temos, de algum modo... Mas nada se compara às maluquices consensualizadas, que redundam em prazeres mútuos.  Cáspita! Eu tenho pressa para experimentar tudo o que não foi possível no decorrer de minhas experiências bdsm. Enquanto estou amalucada. Vai que um dia chegue o momento em que seja convencida a entrar na lucidez social...  (difícil!)




terça-feira, 21 de novembro de 2017

UM PODER PREPONDERANTE!





Quando de repente aquela convocação ansiosamente aguardada chega:
- Ylena!
A voz do Mestre. O comando do Mestre. O chamado do Mestre!
- Sr? Pode dizer meu Senhor!
E a serva fica à escuta, à espreita, aguardando as ordens que precisas soam daquela boca que transmite desejos e desafios.
O encontro é markado. Putz! Isso é espetacular e ao mesmo tempo desafiador, pois a serva  não se achava adequada para este momento na presença de seu adorado Mestre. Mas jamais cogitaria da possibilidade de dizer um NÃO. Sob hipótese alguma! Tinha  um compromisso com a saúde e não poderia  faltar. Dois interesses importantíssimos ao mesmo tempo. Um teria que aguardar o outro e assim foi feito, de forma compreensiva o Mestre norteou a decisão.
Aquele andar... Uau... Jamais esquecerei aquele andar. Um andar imponente. Audacioso. Dominador. Era Ele. O coração dispara.
A memória viaja. A memória se materializa, os sons se tornam audíveis.  Lembrando os meus gritos dizendo “não” enquanto eu mesma me empurrava para o SIM do prazer do Mestre. Aiai, suspiros...
Queria ter corrido em casa, tomado um demorado banho, lavado cabelos, feito escova (essas coisas de mulher – e não propriamente de escrava), mudado de roupa, colocado a perigosa mala no carro e assim está para o desfrute. Com toda luxúria possível... Mas não foi exatamente assim. Só pude lamentar... e festejar; e como festejei! Sempre é um grande privilégio e um extremo prazer poder gozar da presença do meu Senhor Dom Marka. É incrível como Ele tem esse poder preponderante sobre esta serva. Não há hora, nem lugar, nem clima – faça chuva ou faça sol.
Foi uma eternidade de momentos...  Foi possível fragmentar cada segundo em milhares de minutos e esses minutos se  transformaram em eternidades. Muitas eternidades.  Regadas com sensações extras com aromas de desejos, ao tempo em que se rebuscavam memórias eternizadas no tempo de nossas vidas. Como não lembrar o prazer delicioso provocado entre Senhor e serva e vice-versa? Cada momento foi espetacular, único, markante! Sempre deliciosamente relembrado, desejado e memorizado.
E ali, naquele local, de outrora, Mestre e serva se deliciaram, articularam, planejaram e novos desafios foram introduzidos. E como é sempre bom acarinhar com a língua o prazer do Mestre, sentir a explosão do Mestre aquecendo a boca...
No final do momento, uma venda invisível (olhos fechados) e a serva, ali, naquele cantinho, parada, sendo devolvida para... Para onde mesmo?  Sentiu aquele toque, aquela mão, aquele cheiro... que impregnava o ambiente e depois apenas um bater de porta. Pahhh!  Ao abrir os olhos, a busca pelo Mestre amado, que simplesmente evaporou-se, ficando a serva, ali apenas, num local aparentemente desconhecido. E agora? Para onde seguir? Direita, esquerda, frente, ré?... Decidido: seguir em frente, sempre. Como uma fêmea inteligente, claro, e buscar informações para poder melhor se situar onde estava.  Assim foi feito e chegado a um lugar ‘mais civilizado’ (risos), isto é, mais conhecido. Alívio! (ufa!).
Meu Senhor gosta de provocar nessa serva todos os efeitos de Sua dominação. E o pior (ou melhor, já nem sei), é que eu simplesmente adoro isso. 




terça-feira, 14 de novembro de 2017

TUAS COSTAS





É quando Tu te vais... 
Deixando tua marka pelo caminho que Tu passas, 
teu andar felino,  sensual, dominador
Onde o final é sempre assim: Tu te indo e eu ficando,
vendo apenas Tuas costas a sumir entre os espaços...
Deixando cunhada em mim essa maldita saudade
Levando meu nome, minha essência submissa
que só volta a ser brilhante quando contigo Te encontro.
Todo mundo possui dois nomes:
- o nome do documento
- e o nome do coração,
O meu nome de coração, é meu nome de servidão 
é o nome que Tu escolhestes para a mim chamar
E quando Tu me chamas, eu sei que realmente és Tu!
Somente Tu me chamas da tua forma peculiar,
única, particular
Mesmo ao virar as costas e ir para  Teu mundo,
eu sinto ainda tua voz a me chamar:
nas noites que em Ti penso,
nas madrugadas acordada, treinando, gozando,
gemendo, clamando por tua presença
Eu Te sinto me chamando, quando pelas ruas ando
a observar andares, passadas, rostos...
Te vendo nalguns, Te imaginando noutros
Deixando para trás todos os começais
Para que não haja um apego deles,
porque de alguma forma, nalguns momentos
eles encontram a cocada preta em mim.
Quando Te vejo pelas costas, se esvaindo, sumindo...
o olhar petrifica para Te memorizar,
a boca se comprime  para não gritar Teu nome e pedir que voltes...
E Tu te fostes e eu fiquei  com esse tesão que evolui em mim SEMPRE que conTigo   me encontro.
Desejo louco em Te encontrar, novamente, Mestre!

  

FAZER-TE MINHA ESCRAVA

 
 




Camarosi


Vou trazer-te para o meu mundo.
Fazer-te escrava do meu prazer.
Ensinar-te que meus tormentos te elevarão.
Farão com que sinta prazeres extremos.
Gritos de aflição misturados ao prazer intenso.
Tua carne ficará markada com meus castigos.
Farei teu corpo sofrer ao meu bel prazer.
Tirarei tuas vontades e imporei as minhas.
E aprenderás a me respeitar e a confiar.
Confiança de corpo e alma.
E me entregará nestes sacrifícios o teu mel.
Teu gozo será meu...Teu êxtase será meu clímax.
Te permitirei implorar minhas vontades brutas.
Deixarei suplicar por minhas atrocidades.
Darei a você, dores lancinantes até onde suportar.
Penosas punições irei te infringir.
Te limpar dos preceitos morais.
Te ensinar sobre a doutrina da escravidão.
Em teus suplícios, regozijasse-a na dor do tesão.
Após amainar tua febre insana deste louco querer .
Depois de mostrar-lhe a compensação de sua serventia.
Tua obediência será um simples sacrifício.
Teus Nãos...Serão sempre aos meus comparativos.
Não quero que faças...Não farei meu Senhor.
Não farás nada que me contrarie.
Não deixará que seus caprichos interrompam os meus.
Não fará das suas vontades as minhas.
Não me dirás não, não me desobedecerás.
E terás, os meus mais devassos quereres.
Sessões de pura luxúria para me satisfazer.
Doação total as minhas insanidades grotescas.
E aprenderá a amar todas as minhas loucuras.
Minhas palavras irão fazer teu sangue ferver.
Minhas ordens irão afagar teus desejos obscenos.
E encontrarás em minhas mãos, teus segredos de mulher.
Não quero dominar a todas as mulheres.
Não tenho a mínima intenção disto ocorrer.
Quero o domínio sobre você.
Pois teu corpo despertou em mim.
Esta febre insana de te possuir...





 


ESSES TOQUES




nos movimentos do prazer

na entrega dos desejos

esse toque com  sensação de eternidade

ou de brevidade...






segunda-feira, 13 de novembro de 2017

TUDO PRONTO!








Uma correria. As expectativas exacerbadas. A libido em alto grau. Tudo propício para uma sessão espetacular. Esta semana resolvi, então, passar no sex shop adquirir algumas coisinhas para incrementar um momento muito esperado. Algemas, vendas, óleos especiais e aromáticos. A mala - toda arrumadinha. Aproveitei para deixar meu vibrador cor de rosa, carregando no USB, enquanto deixava a buceta totalmente lisa, bem raspadinha - e babando de desejos pelo Mestre, literalmente.
Uma semana de restrições em certas alimentações para que tudo ficasse no ponto certo. Como já falei, costumo ficar pelo menos dois dias só em refeição líquida, de preferência água, um suco de laranja ou de melancia. Espero nunca mais estar num encontro inadequada. Intestino limpinho, cheiroso, gostoso. Se tem algo que irrita o Mestre é esse descuido nesse aspecto. Por isso todo esforço é necessário para que a serva esteja adequadamente servil.
Salão, unhas, secadores, escovas, cremes, maquiagens, perfumes – muitos, sandálias (pelo menos 3) uma nos pés, outras no carro. O lado feminino aflorando para que a serva pudesse está agradável (rs). Um vestidinho preto, discreto e adequado, sem precisar ser o centro das atenções, revestido de um leve casaco em voal azul,  e, claro, sem calcinha... Sentindo  aquela sensação de entrega, de invasão, de fêmea no cio pronta para o abate.
Como sempre a pontualidade fazendo parte da vida desta serva. Conforme combinado e sempre acertado.
Para isso, acordei 3 horas antes, para fazer o devido preparo. Até sair de casa, foi possível concretizar outros compromissos. E no trabalho, claro pedido de dispensa durante o dia ou quanto se fizesse necessário, pois tinha um ‘compromisso’ inadiável. 
O único receio era o aparelho telemóvel que estava com pouca carga, caso viesse precisar do mesmo, para receber algum recado, pois parece que nessa cidade os aparelhos telefônicos estão todos com problema.
O local escolhido era aquele. Lá cheguei e esperei, passeando um pouco pelo ambiente, dando um tempo, até a hora exata. E assim fiz. Procurei aquele rosto ou andar amados... E nada do Mestre. Meia hora, uma hora, duas horas... O tempo não era o problema até porque eu teria aquele período todo à disposição dele. Então seria pelo menos 6 horas de disponibilidade. Esperaria com certeza. Só que vem aquele misto de preocupação e ansiedade. Que foi arrefecida pela consulta ao blog. E tudo foi entendido. Poucas palavras. Mas uma atitude louvável.
O que ficou, foi a certeza de que eu posso esperar, estarei sempre disponível para ir, vir, ficar, etc. e sempre dentro da disponibilidade Dele.
Sensações de agradecimento e compreensão tomaram conta desta serva pela gentileza do amado Senhor em justificar a impossibilidade. Foi bom por não precisar ficar mais tempo esperando. E foi ruim, também, porque eu adoraria ficar esperando até mais tempo, desde que Ele estivesse presente, e não estava...
Obrigada, meu Senhor por Sua postura. Minhas saudações.
serva ylena