<                           

























Mostrando postagens com marcador ESCRAVA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ESCRAVA. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

LIÇÕES QUE A VIDA TRAZ




Foi muita expectativa. Muito desejo. E por descuido, como aquele fiozinho que escapa da mão. Pluft! Acabou sem nem começar. Ficando assim um misto de tristeza, impotência, raiva, fracasso. Revolta.  Choro, choro.
Apesar dos pesares foi uma grande lição com um aprendizado que nunca será esquecido, por que esta serva aqui, a partir de então fará uma rotação de 360º em tudo. A começar em si, uma mudança radical em todas as áreas. Novos hábitos. Novas posturas. Novos tudo. Vou parar de emprestar minhas coisas para terceiros.  Sempre destroem, danificam.
Ontem tinha feito uma “limpeza”. Um bota fora, mais de 50 pares de sandálias, sapatos e botas para a doação. Objetos de casas,  roupas. Inclusive uma que hoje uso. Por falar em roupa, hoje olhei a roupa que conheci o mestre há algum tempo, anda comigo, agora. Está guardadinha, bem pertinho.  Será que consigo chegar lá de novo? Um desafio.  Por isso novos projetos...
E agora mais do que nunca vou treinar. Vou virar uma serva ‘atleta’ com práticas que sejam aprazíveis ao Mestre. O Mestre é extremamente exigente.  
Recordar é viver, dizem, mas sei lá. Cada vez que recordo, tudo piora. Parece que as coisas ficam mais intangíveis. Recordar... Primeira vez. Primeiro fisting. Primeiro tudo. Há coisas que sempre queremos recordar e outras renovar.Tenho recordado muito ultimamente.
Finalmente, um novo brinquedo chegou. O bastão de massagem; não é lá essas mil maravilhas. Acho que as propagandas são mais enganosas que verdadeiras. Pois a velocidade não é tão velocidade assim. E os efeitos são meio tardios. Ou seja, uma hora depois do uso vi um resultado ‘melante’. E isso permaneceu por mais umas 4 horas. Isso sempre acontece. Dirigindo sem calcinha e a buceta literalmente babando. Minha vontade mesmo era ter o Mestre naquele momento e que ele pudesse ter feito uma conferência daquelas que só ele sabe. Enfim, estou, hoje, triste e com a buceta pulsando aqui, desejando tantas coisas.
Vou providenciar umas “vendas”. Olhos vendados trazem mais tranquilidade em certos momentos. Juro que não faço 'cera' com a dor. Eu até aprecio. A dor inicialmente é perturbadora, mas  depois ela se acomoda com o prazer. O pior é quando tudo da em merda. 
E hoje esta serva está triste e com raiva.  


terça-feira, 12 de setembro de 2017

ALTA TE(N)SÃO








CONTIGO
O TESÃO É SEMPRE ALTO
VIVO EM CONSTANTE 
ALTA TENSÃO
ALTO TESÃO...
TU PROVOCAS MEUS INSTINTOS LUXURIANTES...
TU ALIMENTAS 
MEUS ANSEIOS SUBMISSOS



segunda-feira, 11 de setembro de 2017

CONJECTURAS - AS ESCOLHAS




A vida é feita de escolhas. Umas boas, outras nem tanto. Há escolhas certas, há escolhas erradas.
Um dia eu escolhi trabalhar, estudar, escolhi ficar de cabelos loiros, escolhi ficar de cabelos lisos, escolhi  me senti sensual, escolhi uma coleira  (fui num pet e comprei uma e pus no pescoço e tirei uma foto para ver como eu ficaria de "escrava-cadelinha" – é... gostei de me sentir assim...

Mas um dia eu desejei ter um dono, ter alguém para dedicar um lado totalmente fora do convencional para muitos. Eu escolhi Te servir. Por diversificados motivos. Desejos despertados, confiabilidade, segurança, tesão, ensino, aprendizagem, exigências, autoridade, fetiche, erotização, etc. Escolhi abrir mão de um relacionamento comum para investir noutro mais diferente. ("AQUELE” relacionamento) tem lá suas virtudes, é belo, etc., mas..., mas  não tem  o que preciso que é SM (que é justamente o que ESTE pode me oferecer)...






Nalguns momentos, nessas escolhas, havia um leve conflito de interesses – entre a personalidade social e a personalidade fetichista. E de posse de muitas escolhas realizadas, corri atrás de uma escolha atrevidamente perigosa. A escolha de ser serva. A mais perfeita das escolhas se for bem aproveitada. O homem que tem o privilégio de receber a servidão de uma fêmea deve se sentir honrado em ser escolhido para tal.

Eu me sinto privilegiada em poder ofertar essa servidão a quem a mim traduz a junção de muitos desejos.

Eu escolhi abrir mão de uma vida convencional-social e decidi “viver a vida”. Em meio a tantas turbulências sociais, trabalhistas, familiares... Eu escolhi a Ti! Porque eu escolhi ser serva. E aprovado por TI como tal eu me sinto imensamente feliz!

Vou estar sempre pronta para Ti. Por que tu és meu escolhido!

domingo, 10 de setembro de 2017

OBEDECER


Patrícia Clemente


 Obedecer é difícil por isso faço.
Obedecer machuca e não dói na pele.
Que importa a dor do corpo? Isso é fácil!
Conter o desejo, dobrar a vontade do Amado.
Isso dói,
pega no fundo,
curte o desejo,
fortalece a vontade.
Dá ao corpo a sensação de profunda capacidade.
Disciplina do ego.
O maior poder da vontade é anular-se.
Obedecer é força.
Obedecer é duro, por isso eu faço.

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

QUEM ME DEU??!!





De onde vem essa chama orgásmica que tal vulcão se alvoroça todo quando  revolvido, temperado e invadido?
Quem me deu permissão para Te carregar em mim, dentro de um coração que arde que nem esse vulcão?
Quem Te desenhou assim tão quente, com olhos de fogos e mãos de brasas que vão incendiando meu interior? 
Tal VELA em chamas  liquefeitas... Tu vais  escoando entre minha vida, me encobrindo tal manto, com esse desejo por Ti, que Tu me deste.
Então foste Tu mesmo que deu a esta serva todo esse fogo latente,  com esse Teu olhar envolvente -
que me prende em Teu querer com invisíveis  correntes.
Tu podes sentir esse ardor em mim, em minha entrega colorida a Ti?

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

MISCELÂNIA DE PRAZER





O Brasil é um imenso torrão repleto de diversidades. Com uma culinária riquíssima e  variada. Não tenho frescuras com comida. Como praticamente de tudo. Adorei a culinária paraense, o peixe frito com açaí e farinha de goma. Gosto também das cores amareladas, diferenciadas da arquitetura de Belém. Mas nada se compara com o camarão seco do Maranhão, com um arroz branquinho e soltinho temperado com cheiro verde e alho. Me perdi nas bolos de queijo e docinhos Mineiros. Dá de esquecer o mundo. Agora a maria-isabel do Piauí é coisa de louco, quando vem acompanhado com um creme de galinha, vinagrete e paçoca. Comi. Comi também o vatapá e acarajé; forte como a Bahia. Me empanturrei de massas paulistas - sanduíches, pizzas e yakissoba (não gosto muito). No Ceará comi muito peixe de água salgada. Já em Brasília, apreciei  as frutas e também o pão de queijo. Mas no Rio de Janeiro, ali esqueci minhas raízes e me envolvi totalmente com os pratos. Até porque as pessoas que costumam me hospedar possuem dotes culinários espetaculares. São "chefes"  na cozinha.
E é justamente nesse ecletismo que sinto florescer cada vez mais meus desejos bdsm. Uma miscelânia de desejos e práticas diferenciadas que satisfazem o "paladar" do corpo e dos desejos.
Há no bdsm uma coisa intriguista, que o torna bastante peculiar. O bdsm não é algo cerceado a uma classe, ou grupo de pessoas específicas e determinadas. É para todos aqueles que querem sentir este prazer. Não depende do Continente, do país, da religião, da cor, do tamanho, da altura, das condições financeiras. É um  mundo onde todos se equalizam pelo prazer. Todos sentem sensações, quer na dor, quer na 'não dor'. Não importam que práticas se realizam, TODOS, indistintamente sentirão seus desejos preenchidos ou satisfeitos de alguma forma.
Quero me "empanturrar" de tudo o que posso absorver nessas diversificadas práticas bdsm. 
Afinal, ainda não gosto de certas 'culinárias' porque ainda não conheço seus sabores ou não fui apresentada a elas ou vice-versa. De igual forma o Bdsm, ainda não fui apresentada a algumas práticas por isso não posso dizer que gosto ou não gosto das mesmas. 
Mas não tenho 'frescuras' para comidas, nem para um novo aprendizado...

 

domingo, 3 de setembro de 2017

HORA DO LANCHE




AMOR ATEU


Elymar Santos


O amor não escolhe hora nem espaço
Pra unir no mesmo abraço
Um homem, uma mulher
O amor é vagabundo, meio tonto
E aproveita o desencontro
Pra fazer o que ele quer
Apesar de parecer amor errado
Não há culpa nem pecado em nosso amor fora da lei
Simplesmente vou seguir o meu desejo
Percebi o seu desejo
E é só isso que eu sei

Amor proibido
Amor ateu
Deixa em perigo você e eu
Mas é impossível dizer que não
Proibir a voz do coração

O amor é um mergulho no infinito
Se é pecado é mais bonito
E é só isso que eu sei
Mas tem horas que o amor é sufocante
Sinto isso nesse instante
Nesse amor fora da lei
Eu queria passear contigo agora
Te mostrar pra todo mundo e pras estrelas lá do céu
No entanto esse amor tão verdadeiro
Permanece prisioneiro de um quarto de motel


sábado, 2 de setembro de 2017

COMPLETUDES DE PRAZER PARA UM ENCONTRO



São tantas as coisas que me fascinam, que alistaria aqui uma infinidade de imagens para traduzir meus desejos, loucos ou não e ainda assim não saberia dizer se seria as únicas desejadas ou não...













Não sou dessas mulheres que se envaidecem com certas coisas. Eu sou simples. Cotidiana. Gosto de viver a vida singelamente. Nunca aspirei luxos inusitados. Carros anualmente trocados.  Comidas exoticamente caras. Gosto do que é bom. E como serva me desprovi de muitas “patricices”.
Eu gostava muito de usar unhas grandes, compridas, pintadas, mas o Mestre não gosta, então se estou com unhas grandes e surgir uma sessão imediatamente opto por usar unhas curtas.  E assim vou adaptando algumas coisas na minha vida para que melhor se adeque aos meus desejos bdsm.
Esse meu prazer me move de uma forma tal, que me sinto reavivada quando mensagens chegam, quando encontros acontecem...
Particularmente ainda não sei tudo de bdsm, claro, mas o pouco que aprendi nessa caminhada foram suficientes para me motivar a querer ir mais além. Me aprofundar, conhecer,  experimentar, viver...
Fui adquirindo elementos que somados aos domínios de meu Mestre tornam o momento mágico, enlouquecedor, delirantes. De verdade!
O toque de Sua mão (sempre desejável), suas amarras (com essas cordas cruas ou não), esses brinquedinhos... E agora a última aquisição o massageador vibratório (será que chega logo) que está me deixando ansiosa em tocá-lo, usá-lo. Há muitos desafios ainda não transpassados.
Tenho trabalhado alargamentos, sim, mas é incrível como tudo volta; se se passar 4 dias sem nada fazer é como se nada tivesse acontecido! Caramba! É como recomeçar do zero.
Há gostos para a região pubiana. Conheci certa vez uma pessoa que adorava pelos por toda parte. Já há quem não gosta... Pra mim tanto faz. Sabe a tal depilação a cera?  Isso é coisa de louco.  Nunca mais!  Buceta quente só de prazer!
Adoro anal. Desafio a mim mesma com momentos de ousadia total. É...  me assusta sim.  Quero sempre mais, mais...
O que uma serva poderia desejar, por exemplo, em um encontro, uma sessão com seu Mestre?
Primeiramente a presença do Mestre é um prêmio. O toque do Mestre é  um brinde. O uso de acessórios de prazer é a completude do momento. Tudo que se puder usar, estou sempre pronta a seguir em frente até onde der. E quando não der, dar uma relaxada, e vai se praticando até se aperfeiçoar ou melhorar.
Odeio as questões de limites!!! Mas infelizmente não é apenas a mente que pode conduzir tudo,  o pior mesmo é quando  o corpo “encrusta”, resiste ao novo ou semi novo. Mas  as calosidades da vida foram e são construídas com atos repetitivos. Com o prazer bdsm não seria diferente. O negócio mesmo é insistir, praticar, repetir, repetir até se acostumar, memorizar  e adormecer. Por falar em adormecer lembrei  daquela pomada adormecente. Vou já ali comprar uma. Hoje quero ousar, mas muito mesmo...