Mostrando postagens com marcador ESPINHOS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador ESPINHOS. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

UM TOQUE

 
  
 Um toque
daqueles que markam
daqueles que fazem exalar espirros de gozo
apenas um toque para as fontes jorrarem
aquele toque tocado, markado
desejado
markado com gritos de silêncio
markado com mãos que sabem levar e elevar.
Tuas mãos
sempre me elevam Mestre adorado.

domingo, 4 de fevereiro de 2018

IRMÃS DE COLEIRA - AINDA (R)EXISTE?



Algumas submissas veem isso como um castigo, outras como uma dádiva ou algo que venha 'esquentar' o servir do Mestre.
Nem sempre a famosa irmã de coleira é uma escolha de uma das submissas. É apenas um desejo fantasioso do próprio dominador que quer, por vezes, mostrar seu poder de dominação, condução e/ou administração. Nalguns casos até mesmo de exibição... Tive uma amiga submissa "athina"  que achava que: "a relação é dele (dominador), que ela não tem nada a ver com isso".
Certamente que um dominador pode ter quantas escravas consiga administrar em sua senzala e ter a certeza de que tudo possa correr bem - para o bem e felicidade geral de todos. E isso pode ser medido pelo grau de satisfação de cada uma das escravas envolvidas, da dedicação, da entrega, do apreço, do desejo e do tesão em servir ao seu Mestre e senhor dominador. Mas vale ressaltar que numa relação assim não cabe espaço para ciúmes, meninices, possessividades, afinal a serva é apenas a serva; aquela que obedece, que se submete, que oferece sua servidão ou escravidão àquela pessoa  a quem consentiu essa dominação de seus desejos sadomaso. Cada pessoa tem seu espaço próprio, seu momento. Mas claro que deve ser especialmente delicioso cada uma poder se sentir única e especial. 
Eu mesma disse uma certa vez ao Mestre que as pessoas nasceram para cada finalidade, umas para serem especialistas em determinadas coisas na vida; outras apenas para chupar um cacete com maestria, há ainda outras que fazem um prolapso inalcançável, e outras mais, para  fazer todas as putarias numa só pessoa.
Uma irmã de coleira é algo que pode dizer somente respeito ao dominador. Ele não precisa de consentimento de uma escrava sua para ter quantas submissas queira! 
Mas será que consegue satisfazer a si e a tantas?

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

O TOM DO SPANKING ERÓTICO


 
Ultimamente as práticas sadomasoquistas vêm fascinando pessoas em todas as regiões da terra. Indo de autoridades políticas, artistas,  intelectuais, religiosos, entre outros mortais. Já falei sobre isso em algumas postagens
O spanking é uma das práticas que exarcebam a sexualidade. As palmadas podem, sim, serem sexualizadas, provocar prazeres, sensações de satisfação tanto em que dá , quanto em quem recebe.
Agora vale lembrar que o spanking não é uma prática específica das mãos; pode-se usar outros objetos, como cintos, chinelos, chicotes, palmatórias, etc.  Desde que seja gostoso para as partes envolvidas, está tudo tranquilo.
Salientando, ainda que o bdsm é jogo onde a  consensualidade fala, grita alto, este respeito não pode ser ignorado por nenhuma das partes. 
Qualquer região no corpo pode provocar prazer com spanking, claro, mas há algumas regiões que parecem que nasceram para essa finalidade, como as nádegas... Será por ser mais carnuda?
Particularmente eu amo ser recebida com uma boa 'bofetada' erótica. Isso é muito diferente de espancamento agressivo, claro. Inadmissível dentro do BDSM.
Até a Sociologia explica que as culturas possuem suas eroticidades e que algumas destas vêm embuídas de práticas que poder-se-ia transferir ao sadomaso.
Quando os roteiros sexuais  se tornam cotidianeiros, pode-se ter o risco de a relação  ser repetitiva. Até mesmo dentro das práticas bdsm há esse risco, para aqueles que não querem avançar em novos conhecimentos, amadurecimentos e novas práticas.
Cada vez me surpreendo mais com meu adorado Mestre, Dom Marka. A cada momento, um novo aprendizado surge e novos desafios são lançados. E eu vou ficando cada vez mais refém (humm) dessa marka Dele!

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

O SEGREDO






Uma vez, no auge  do sucesso, o livro O Segredo despertou interesse em muitas pessoas, até mesmo nesta serva. Fui à livraria e o comprei; mas nunca o li por completo. Mas ultimamente ele tem despertado em mim um singelo interesse. Pois dá ênfase à própria pessoa, suas ações e a força do próprio pensamento. Vou procurar na minha enorme estante para lê-lo com mais acuidade.
Por outro lado, participei de uma exposição onde o palestrante reiteradamente frisava que o segredo está em guardar o segredo. Aquilo ficou martelando em minha mente. E tenho nalguns momentos preservado 'segredos'. Não por ser supersticiosa, não por acreditar em atrair coisa 'ruim', mas para resguardar aquilo que necessariamente não precisa ser revelado, claro.
A filósofa Hannah Arendt em sua dicotomia entre a esfera pública e a privada faz interessantes distinções. Onde ressalva que 'o privado é o reino da necessidade; o público é o reino da liberdade'. É uma das minhas autoras preferidas, decerto.
E eu creio que nós temos em nós essas esferas, também.
Há pessoas que não sobrevivem sem que suas vidas privadas se tornem públicas! Como artistas, cantores, esportistas, políticos, palestrantes, youtubers, etc. Querem ser vistos, querem ser seguidos, querem ser ovacionados por plateias. Há um outro grupo que prefere a discrição, o anonimato.
Nalguns momentos prefiro o público, como apresentar algum trabalho científico;  noutros momentos quero a quietude quase silenciada. Há Mestres, por exemplo, que não apreciam coisas e posturas espalhafatosas. É válido.
Mas há coisas na vida que só dizem respeito a quem de direito. Há coisas que mesmo sendo públicas, somente quem sabe saberá do que se trata! Há coisas entre um Mestre e uma serva que somente eles sabem. Há coisas que somente o mentor e seu discípulo sabem. 
Há coisas que podem ser desfrutadas, saboreadas somente entre quem está ciente dessas coisas. Aquele telegrama picante, uma cartinha luxuriante entre um macho e  uma fêmea... Pois somente essas partes envolvidas saberão que ali reside algo que só diz respeito entre si. Onde o público e óbvio é particularmente privado; justamente para que se preserve a intimidade, a privacidade de quem não quer seu privado expresso de forma pública.
O que eu quero que seja público, mesmo é essa paixão bdsm que cada dia vai nutrindo meus desejos, que se transformam nessa essência de mim mesma, essa essência de serva. Uma serva que publicamente declara sua servidão a um Mestre, um Dono por quem nutre profundo respeito, paixão e obediência. Uma serva que tem fome em ouvi-lo, que tem sede em senti-lo. Que vive sem fronteiras de servidão, sem limites de direito, porque simplesmente a Ele entregou todo e qualquer resquício desse direito, pautado no respeito, sem se sentir nem superior, nem inferior. Sente-se apenas uma serva e nada mais!
O segredo é receber o Mestre em sua essência, em seu momento, com a mais exuberante harmonia.
Eu tenho uma maleta repleta de segredos! Repleta de tantos sonhos. Repleta de tantos momentos, cada peça, me remete para uma situação diferenciada. Repleta de prazeres que não me caibo em mim mesma. Por isso sinto essa necessidade de compartilhar "Contigo (s)", senão explodo! Eu gostei, eu gosto das markas que Tuas Markas provocam em mim, Mestre! Olhe e veja quão belas são! Não tenho segredo em lhe revelá-las! Podes sentir?!
O segredo maior que guardo é este e agora é público: - eu sou esta fêmea que se tornou nesta serva para a Ti servir! Cheia e escancarada de desejos de seguir sempre Tuas Markas!


 

terça-feira, 14 de novembro de 2017

TUAS COSTAS





É quando Tu te vais... 
Deixando tua marka pelo caminho que Tu passas, 
teu andar felino,  sensual, dominador
Onde o final é sempre assim: Tu te indo e eu ficando,
vendo apenas Tuas costas a sumir entre os espaços...
Deixando cunhada em mim essa maldita saudade
Levando meu nome, minha essência submissa
que só volta a ser brilhante quando contigo Te encontro.
Todo mundo possui dois nomes:
- o nome do documento
- e o nome do coração,
O meu nome de coração, é meu nome de servidão 
é o nome que Tu escolhestes para a mim chamar
E quando Tu me chamas, eu sei que realmente és Tu!
Somente Tu me chamas da tua forma peculiar,
única, particular
Mesmo ao virar as costas e ir para  Teu mundo,
eu sinto ainda tua voz a me chamar:
nas noites que em Ti penso,
nas madrugadas acordada, treinando, gozando,
gemendo, clamando por tua presença
Eu Te sinto me chamando, quando pelas ruas ando
a observar andares, passadas, rostos...
Te vendo nalguns, Te imaginando noutros
Deixando para trás todos os começais
Para que não haja um apego deles,
porque de alguma forma, nalguns momentos
eles encontram a cocada preta em mim.
Quando Te vejo pelas costas, se esvaindo, sumindo...
o olhar petrifica para Te memorizar,
a boca se comprime  para não gritar Teu nome e pedir que voltes...
E Tu te fostes e eu fiquei  com esse tesão que evolui em mim SEMPRE que conTigo   me encontro.
Desejo louco em Te encontrar, novamente, Mestre!

  

terça-feira, 7 de novembro de 2017

DA COR...



Homenagem

Isso é que é mulher... 
faço até um poema especial:
 

¨Tens a cor do tesão,

O tom do desejo

E entre as dobras do teu corpo,

Deposito meu beijo.

Tens a cor e o tom do prazer

Que revela o desejo de um homem

Por ti... doce mulher!¨



PDR

(http://pequenosdelitos2.blogspot.com.br/)





RESPOSTA da serva ylena de Dom Marka

Agradecida pelas belas e provocantes palavras