Mostrando postagens com marcador INFORMAÇÕES. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador INFORMAÇÕES. Mostrar todas as postagens

sábado, 11 de novembro de 2017

DE VOLTA AO FEUDALISMO?! SERÁ?!





COMENTÁRIO ANÔNIMO:
"a mulher dificilmente terá seus direitos, sua igualdade na sociedade, porque ainda há mulheres como você, que se apelidam de servas. O Feudalismo já terminou há muito. Não diga pra nós, que é de sua livre vontade ser serva, serva da gleba?, porque não é. Se esse homem, senhor feudal, que teve ou tem mãe, e que bem poderia ser serva também de outro insano, ti dá dinheiro, vida boa, joias e coisas de valor para que tu faças essas coisas pra ele, sai da rota, da prisão, de vez. tás a tempo, minina!"





Pegando o comentário de um anônimo sobre a questão de servidão, direitos sociais, direitos iguais, e/ou direitos feministas, associando o BDSM ao Feudalismo.
No transcurso do século 19 e 20 o feminismo vem tomando espaço, e na década de 60 foi se lastrando sempre mais, quando as mulheres buscaram suas “liberdades”, suas “igualdades”, suas “ideologias” e hoje usa-se a expressão “empoderamento feminino”.  Com tudo isso gerou uma filosofia de que mulher é igual ao homem. Que pode quanto o homem - que nada! E nunca vai parar! A cada século, a cada década, a cada geração irá se buscar outros componentes para se lutar, agora é a mudança de sexo, a ideologia de gênero... E por aí vai. Para onde será que caminha a humanidade? A Europa? O Brasil? São muitas “ondas”...
E quem disse que em BDSM se busca direitos iguais?
Quem disse que eu, serva, estou em busca de direitos iguais nessa relação? Quero mesmo é a leveza do ser, a delicadeza do “menos força”,
A única igualdade buscada é a do prazer mútuo.  Nunca será Feudalismo, até por que esse sistema que prevaleceu na Idade Média, era um sistema socioeconômico, que envolvia a administração pública, política,  econômica  e  exploração, onde os senhores feudais forçavam seus vassalos ou servos  a produzirem os bens necessários para seus deleites e riquezas. O que não é o BDSM que conheço, que vivencio.
Minha busca por direitos equânimes são aqueles que se revelam através da justiça, do bem estar social, que muitas vezes nos são retirados por maus governantes, da moderna sociedade, que são piores que os senhores do feudalismo! Devemos ser ativistas, sim, mas na integridade, na harmonia.
Não busco dinheiro, não busco riqueza, não busco joias. Porque a riqueza nessa relação é a presença da pessoa querida, benquista. A joia maior é sentir Suas mãos em torno de si, de seu pescoço, de seus desejos, às vezes acondicionado com uma significativa coleira (collar). Dinheiro? Dinheiro não é sinônimo de felicidade!, senão muitos artistas milionários não viveria em depressões, não tirariam a própria vida, entre outros malefícios.
Não sou uma mulher acéfala! Tenho vida, conhecimentos, estudos acadêmicos, pedagógicas  e atitudes. Não sou superior, nem inferior. Sou uma fêmea que respeita as hierarquias sociais, em quaisquer esferas ou instâncias de relacionamento – político, familiar, filosófico e até BDSM (onde aqui sou serva de Dom Marka).
Cada pessoa se entrega às suas causas; aos seus anseios, para satisfação de suas aspirações.  
No BDSM ninguém se anula, se vive desejos.  Continua-se trabalhando, estudando, sorrindo, chorando, saindo, mas com um diferencial que é essa entrega absoluta (ou recebimento).
Por outro lado, há umas pessoas que vivem nas mediocridades de sentimentos e limitações de prazeres. Vão só passando pelas eras, pelas idades, sem sentir de fato aquele prazer avassalador, que faz tremer até a alma em convulsões de êxtases! Não submergem com profundidade em emoções  de ‘pecados’ luxuriantes e ao mesmo tempo respeitosas. Vivem simplesmente numa ignorância total, mesmo com seus ditos ‘conhecimentos’.
Viver uma verdadeira servidão BDSM não é voltar ao Feudalismo, senão a Europa, Américas, Ásia, África... não correriam para as telas dos cinemas, para as portas das livrarias e bateriam recordes simplesmente para assistirem e lerem a trilogia de E. L. James, Fifty Shades of Grey (Cinquenta Tons de Cinza)!
E olha que depois deste já vieram outros Tons...


 

segunda-feira, 17 de julho de 2017

ENTRE CONVERSAS...


Gosto muito de ler. Sempre gostei. Gosto também de escrever, compartilhar; e nos blogues, estou aberta a responder a todos que neles adentram; quaisquer que sejam as situações ou questionamentos. Algumas pessoas concordam com o estilo BDSM, outras não. Há aqueles que, mesmo sem concordância adentram aqui, comentam e com satisfação os respondo. Respeito as posturas de quem gosta, de quem não gosta, de quem é serva, de quem é dominador, de quem não se identifica com nada; mas não passa disso. 
Alguns visitantes são pessoas do Brasil, Estados Unidos, Portugal, Alemanha, Rússia, Suíça, Suécia, Espanha, entre tantos outros países. Mas de fato, meu estrondoso interesse é com meu Mestre, é este quem me maravilha, me  leva além....
Além Daquele que profundamente me Marka, não mantenho conversas de interesses bdsm nem dentro nem fora deste espaço com terceiros; até porque sei que o Mestre é uma pessoa que prima pela discrição e não seria justamente eu, uma simples serva que iria fazer algo que O contradissesse! Até pensei em criar uma página no facebook e seguir comunidades do meio SM, mas tenho dúvidas se deveria.
Claro que algumas meninas de outros países (grifa-se), comentam com mais frequência e assim eu, com a mesma assiduidade, também respondo. E só. Nada mais além disso.
Lembro-me que uma vez me fora dito que servas não tinham permissão de manter contato com qualquer pessoa do meio BDSM sem a devida autorização, então é justamente isso que ocorrerá. Sou obediente.  Ou pelo menos tento! Não tenho costume de transgredir regras, acordos firmados ou ordens. Mesmo que entre conversas e conversas também pode se conhecer outras pessoas...
Por fim, aqui também é um espaço que agrega informações que redundam em prazeres para todos os gostos. Cada um escolhe o seu gosto. Tem imagens de spanking,  les, bondage, gangbang, romântica, etc... É um espaço democrático. Mas acima de tudo é um espaço para declarar minha servidão ao meu amado Mestre.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

DESEJOS SEMPRE VIVOS, POR TI!


 


Mestre
por Ti, 
os desejos 
são sempre vivos!

Adoro-Te!
Sempre disponível.



exceção à parte 02-05/06

sábado, 21 de janeiro de 2017

SUBMISSÃO CONCEDIDA (DE VOLTA)- J@ta SM




Para quem não conhecia a primeira edição de Submissão Concedida foi lançada em 2004. Uma produção independente que se esgotou em poucos meses, tornando-se uma raridade que hoje chega a ser vendida por até R$ 250,00. Diante do fechamento da editora, por anos a comercialização se deu por meio de cópias xerox a preço proibitivo, mas mesmo assim a procura continuava. Passados doze anos, chegou a hora da segunda edição atualizada e ampliada. A história e o roteiro são os mesmos, mas diversas cenas foram revistas e novas práticas incluídas. O tempo passou e a modernidade exigiu uma revisão: A primeira edição não contava com WhatsApp e ainda existia o ICQ; as cadeiras no cinema não eram reservadas e nem o orkut havia sido lançado, quanto menos o Facebook. Tudo isso foi revisto nesta nova edição. Mas o livro continua bem expondo, tentando esmiuçar, todo o maravilhoso universo de possibilidades e fantasias infindáveis do BDSM - sigla para Bondage (arte de amarrar) e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo. Fugindo da linguagem vulgar, relata a história da relação entre uma escrava e seu Mestre, desde a descoberta de sua submissão e prazer com a obediência e dor, passando por todas as experiências e evoluções gradativas, até tornar-se uma escrava em entrega total sem limites a seu Dono. E para que qualquer leitor ou leitora possa se identificar com os protagonistas, os mesmos não tem nomes nem lhes é definida qualquer característica específica, tais como idade, origem, estado civil, tipo físico ou nível sócio-econômico-cultural.
Desta forma, o leitor pode mergulhar no relato que o Mestre e Dono narra para sua escrava submissa, de todas as situações, sensações e sentimentos por ela vividos e sentidos nesta sua longa jornada.
E assim, quem sabe, embarcando nesta aventura cheia de sedução e erotismo, descobrindo e explorando as delícias do BDSM, seja como Dominador, escrava submissa ou até mesmo como curioso; relevando preconceitos, tabus e moralismos sociais; medos e reservas pessoais, você possa, após um previsível incômodo inicial e com tantos momentos de perplexidade diante de algumas cenas, descobrir que dentro de si também brilham o dom e desejo BDSM que necessitam apenas ser conhecidos, assumidos e lapidados.

FONTE: http://escravasesubmissas.blogspot.com.br/?zx=be12ff7066b4362b 


Alguns anos atrás eu adquiri  a primeira edição diretamente do autor, Mestre Jot@ SM. Amei, é inspirador para quem aprecia  BDSM.

domingo, 1 de janeiro de 2017

É ASSIM QUE QUERO TE RECEBER NESTE NOVO ANO!












é com todo tesão,
todo prazer
toda paixão
e acima de tudo 
com toda servidão
que quero te receber neste ano se inicia.
Seja bem vindo em mim!

Ao mestre e senhor amado





sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

ADORO QUANDO ME ENROSCA EM TEUS DESEJOS

 
É em teus desejos que me perco
são em tuas amarras que me prendo
adoro quando tu me enrosca em teu querer.


terça-feira, 29 de novembro de 2016

COMO FAZER A VERDADEIRA DEPILAÇÃO A CERA



Fonte: Bolsa de Mulher

http://www.portaldozacarias.com.br/site/noticia/como-depilar-a-virilha-em-casa-testamos-e-ensinamos-tudo-o-que-voce-precisa-saber/

A maioria das mulheres vai ao salão de beleza regularmente para fazer unhas, cabelos e eliminar os pelos indesejados, mas você já pensou em fazer depilação sozinha? Essa independência é bastante vantajosa: você economiza uma graninha e não fica presa ao horário de uma profissional, principalmente quando precisa depilar a região íntima de última hora.
Em um primeiro momento, depilar a virilha sozinha com cera pode parecer difícil, mas, seguindo algumas dicas e cuidados, fica bem mais simples. Por se tratar de uma região delicada, é importante que antes você já tenha depilado outras partes do corpo, como pernas e axilas. Isso traz familiaridade com a cera e evita pequenos acidentes.

Dicas para se depilar sozinha
Regras de ouro:

Sempre aplique a cera no sentido do crescimento do pelo e puxe no sentido contrário, com movimentos rápidos e firmes. Caso contrário, ela pode grudar e machucar a pele.

Use a mão livre para esticar a pele tanto na hora de passar quanto na hora de tirar a cera. Isso é fundamental para que todos os pelos saiam sem machucar.

Passe o produto em pequenas áreas de cada vez. Os pelos da região íntima crescem para lados diferentes e é fundamental acompanhá-los. Isso também te dá maior controle e diminui a dor.

Comece aos poucos. Não tente fazer uma depilação completa logo de cara. Avance um pouco a cada mês até chegar ao resultado que deseja.
Um espelho de corpo inteiro aumenta bastante o seu campo de visão. Sentar no vaso sanitário e colocá-lo em frente pode ser um bom jeito.

Qual cera usar?
Cera quente

A cera quente é a mais indicada para depilar a região íntima, pois se molda à área, que é cheia de curvas. Esquente no aparelho em temperatura média até que ela derreta por completo. Se derreter demais, ela fica muito líquida e pode queimar a pele, por isso, o ideal é a textura pastosa.

Passe uma camada generosa em um pedaço de pele e espere somente até o momento em que ela não gruda mais no dedo. Se esfriar muito, a cera quebra e é mais difícil de tirar. Tenha sempre à mão um óleo removedor para eliminar os resíduos.

Cera hidrossolúvel

Para quem ainda não tem muita habilidade, a cera hidrossolúvel pode ser a melhor opção. Ela é lavável e traz mais segurança: se grudar na pele, entre no chuveiro. Aqueça por um minuto no micro-ondas e passe uma camada bem fininha sobre a pele (imagine que ela é uma cola que precisa aderir ao papel). Coloque um lenço TNT por cima e puxe com firmeza.

Cera fria

Não é a mais indicada, porque, assim como a cera em roll on, não se molda adequadamente à pele.

Como fazer depilação íntima

Se os pelos estiverem muito compridos, apare com uma tesoura ou com uma maquininha própria. Comece pela dobrinha da coxa e avance para o monte de vênus, tirando primeiro as laterais e depois a parte de cima. No desenho, as setas representam o sentido em que você deve passar a cera, mas observe sempre o sentido de crescimento dos seus pelos e respeite-o.



 As setas indicam o sentido em que você deve passar a cera. Puxe
no sentido contrário
Depos, passe para a parte interna da coxa, onde começa o bumbum. Essa é a hora de “limpar” a região e eliminar todos os pelos que ficam perdidos. Avance até perto da entrada do canal vaginal. Em seguida, depile os grandes lábios, esticando bem a pele ao passar e retirar a cera.




Puxe a cera com movimentos firmes e rápidos (Fotos: Shutterstock)
Os pelos do ânus podem dar um pouco mais de trabalho, já que a posição é desconfortável. A ideia é deitar o corpo ao máximo (se vc estiver sentada no vaso sanitário e usando um espelho), segurar a metade do bumbum, passar a cera e puxar em seguida.