Mostrando postagens com marcador MESTRE. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador MESTRE. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 11 de junho de 2018

BELA VISÃO





De fato a visão mais bela que se pode ter no BDSM é a visão de uma serva e de um mestre. É uma bela visão. A visão da servidão. Por isso sempre busco entre pontos, entre caminhos aquela visão que enlouquece meus sentidos e que enaltece meus desejos de serva. A visão de Ti, meu mestre adorado. Por aqui, por ali, por acolá... Sempre bom te ver!

sexta-feira, 8 de junho de 2018

ABOCADAMENTE

 
 Há sabores que temperam momentos. 
O sabor que uma foda é semelhante a... torta de camarão com caranguejo e bacalhau. Fui ao mar para traduzir aquilo que é gostoso e que eu gosto. Sem falar, claro nas azeitonas.
Que, aliás, fui presenteada pelo Adorado Mestre  com o mais importante de tudo: ele mesmo e umas azeitonas deliciosas - inesquecíveis. Sem falar, óbvio, em suas próprias markas.
Cada Marka que vem de Ti, são intensamente markantes em mim.
Obrigada por sempre me permitir gozar de Tua presença. De alguma forma...

quinta-feira, 7 de junho de 2018

TU ÉS UM ALENTO




Sabe Mestre, como reiteradamente esta serva já Te disse: como poderia me acostumar com essa tua poderosa voz? Tu tens um fascínio particular no som. Tu tens um poder impetuoso ao abrir a boca. Remete-me àqueles semideuses gregos. Fico a concatenar com meus botões qual deles, meu adorado Mestre se transmutaria? Zeus? Pelo poder de influência, acho que sim, mas também não foge ser semelhante ao Hércules, força, domínio (nota-se que eu só quero comparar como lado bom, claro).
Enfim, o meu Mestre Dom Marka, é um ser sobrenatural. Com influências sobrenaturais. Com posturas perigosamente sobrenaturais.

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

INTERESSANTE...

 Para onde vai a imaginação?
você pode transformar seu espaço, num ambiente de torturantes prazeres.
Um convite à total lúxuria e fetiche
Amei esse ideia para cama...
uma mini masmorra!

terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

APÓS UM NÓ

Apenas um nó
para desamarrar prazeres
para desamarrar fantasias
para atar desejos, fetiches
e loucuras sãs...



sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

OUVIR-TE, MESTRE!

O melhor som que uma serva  pode escutar é ouvir o som do Mestre. Aquele som que vem quase como imposição. Quase como ordenança. Faz tremer as bases. Faz acelerar emoções, vontades e pensamentos. Faz viajar, muitas imagens, momentos permeiam a mente. Como esquecer o som mais markante de todos os sons? Eu fico sempre abobalhada, sem ação e sem noção.
Enlouqueço-me Contigo, Mestre!

sábado, 17 de fevereiro de 2018

A SAGA DE ZENE - MOMENTO 2




ZENE depois de sentir aquelas sensações indescritíveis para o seu dia a dia, quis conhecer um pouco mais desse mundo que estava lhe despontando.
Foi em busca de tudo  que falava sobre "sexo picante", servir, plug, essas coisas, e qual foi sua surpresa quando se deparou exatamente com o mundo BDSM.
Pensou: - Então quer dizer que tudo isso é o tal bdsm? Pois quero conhecer mais. Quero ir mais além, quero conhecer outras fontes jorrantes dentro desse mundo. Decidiu e assim foi.
Seu parceiro, agora era seu DONO. Começaram a nutrir uma nova e excitante fantasia, com tantas descobertas. ZURI aos poucos foi introduzindo outros elementos desse mundo fetichista no cotidiano de ZENE.
Certo dia, ZENE se imaginou levando umas boas cintadas e como se quisesse a realidade ali presente, ficou nua e arrebitou a bunda, e de fato, sentiu aquela ardência e gostou. Eram suaves cintadas que ZURI lhe aplicava, fazendo seus desejos exalarem um tesão que chispava gozo. Ele tinha chegado sem que a mesma percebesse e como que lendo seus desejos os concretizou.
E a colocou naquela cama, envolta em lençóis brancos e assim lhe apresentou outros modelos e tamanhos variados de plugs e mais duas novidades: uma chibata e uma coleira.
Ela não entendeu muito bem, mas tinha visto no carnaval do Brasil alguns artistas usando coleiras com o nome de seus machos e achou o máximo. De certo que era uma coleira sem nome, apenas algo bem rústico. Mas que parecia ter um grande significado. Mas e aquela chibata com um furo em forma de coração para que serviria? Poderia markar sua bunda e deixá-la com um belo desenho, pensou. 
À medida que aquelas novas roupagens iam sendo usadas em seu corpo, ZENE mais adorava e desejava. Não estava entendendo mais nada. Porque estava assim tão fascinada com essas coisas que antecedentemente lhe pareciam uma profanação? Mas, mesmo assim se deixou levar pelo calor produzido no corpo, onde um torpor lhe embriagava com puro tesão. Onde estava que nunca tinha descoberto antes essas delícias de bdsm? Será que existia alguma outra novidade, algo que não sabia ainda?
Sim, e muitas, que  não faziam parte do mundo de ZENE e que não foram introduzidas por ZURI. Ainda. Imagina quando ela descobrir o prazer em fazer parte de uma senzala com mais uma ou duas servas? E ser, então, emprestada como objeto de servidão para outro 'dominador'?
Ah, ZENE espere pois há um longo caminho de luxuriantes prazeres a percorrer...

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

domingo, 24 de dezembro de 2017

CAVALETES...

Enfim uma função mais prazerosa
 para os cavaletes...
Basta apenas usar a criatividade...

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

REFLEXÕES DE UMA SERVA!



Durante vários anos, há mais de uma década, aproximadamente, enveredei-me por este caminho que chamo de fascinante mundo do BDSM. E isso foi me rebatizando com uma nova roupagem, novos desejos, novas posturas. Os contatos com as pessoas deste meio me enriqueceram o conhecimento do que é este estilo. Entretanto, e obviamente, o contato mais especial e essencial foi com meu Mestre e Senhor, Dom Marka, a quem dediquei minha servidão. Com Ele aprendi o que é de fato bdsm. Foi algo crescente, que cada vez mais me moldava, me ensinava, me acondicionava dentro do caráter bdsm e de suas próprias vontades.
Fui me lambuzando, me envolvendo... E é impossível não se envolver com todas essas magias, feitiços e seduções que o BDSM desperta na mente da gente, na minha mente, em meus desejos... Traz uma agonia, uma inquietação que vem acoplada com aquela vontade de quero mais, de se aprofundar mais, de desejar mais... E sempre mais...  Com uma linguagem única, particular, que nem palavras  traduziriam o sentido real...
Fui tateando brechas, formando desejos,  criando momentos, esperando o tempo; até cruzar vários arco-íris, de forma que esses caminhos  me conduzissem ao Mestre... Só pelo prazer que Ele a mim causa. Especificamente se posso  provocar o  prazer Dele.
        Tive, também, a voz embargada, markada pelo refugo da mordaça invisível. Tantas cordas sem laços, sem amarras, fazendo companhia para um excêntrico desejo vermelho repleto de tantos sonhos: quantos sonhos, Dom Marka, foram realizados Contigo! E quantos ainda desejo que sejam realizados! E na minha mente ainda reside uma imagem viva de uma serva ajoelhada (e perfumada), de mãos postas, esperando seu Mestre e Senhor com todo seu gozo e prazer... Teus prazeres mais obscenos, loucos, desvairados, sensuais, ousados e imorais. Aqueles que elevam as carnes e faz delirar o espírito. Esta centelha de amor BDSM que ultrapassa todos os limites do entendimento humano. Que faz meu coração acelerar...
Quantas emoções senti, vivi, revivi...
Do medo à respiração ofegante, da espera, da dor, do chorar, do sorrir, do sonhar. Do toque... e quantos toques visíveis e invisíveis, com Tuas mãos, com meus pensamentos, com Tua voz, com Teus passos, com cada ação Tua... Quase impossível não pensar em Ti, como já repetidamente digo. De não desejar Teu cacete  me asfixiando a boca e garganta... Sentindo-o  crescer ali, como se fosse seu habitat natural e sentir sua pulsação explodindo...
Quem disse que esta serva quer pena?!
É quase um pedinte... Pode ser. Mas é uma serva suplicante para agradar seu Mestre adorado. E até naqueles momentos de falhas, queria poder não falhar. Queria apagar passados, queria refazer passados. Queria acertar presentes... Queria reviver tudo o que deu certo, sem fronteiras e de forma ilimítrofe!
Onde tentei escrever com muitas ou poucas palavras para somente Te expressar o tom desse meu imensurável amor bdsm. Um amor totalmente submisso a Ti. Que me faz ser...
Ser uma serva cheia de dor
Ser uma serva cheia de amor 
Ser uma serva cheia de olor...
Esse odor de servidão, que somente meu Mestre produz em mim. Eu sempre vou agradecer pelos ensinos. Obrigada, sempre, Mestre, porque minha saga de submissa só se completa CONTIGO, com Tuas ordens, com Tuas MARKAS. Sempre.

domingo, 3 de dezembro de 2017

O SABOR DO MESTRE



O sabor do Mestre
É aquele sabor 
de "quero sempre mais":
Mais da presença. 
Mais do sentir. 
Mais do próprio sabor.  
O sabor do Mestre 
tem um sabor de desejo. 
Não qualquer desejo; 
mas aquele desejo safado, 
recheado de fantasias, 
lascívias e muito tesão. 
O sabor do Mestre 
se revela em seu desejo, 
em seu membro enteso, 
digno de adoração, 
de predileção.  
Que se transforma 
num dogma de prazer; 
objeto de culto, 
de homenagem e paixão.
O sabor do meu Mestre 
ressoa entre minhas mãos, 
na boca ou não... 
Tempera minhas taras, 
irriga meu fogo ardente, 
ebuliza meus vulcões, 
efervesce  minhas depravações 
em senti-lo vivo, 
pulsante e em movimento...  
Esse movimento de alta voltagem 
que produz essa energia sinérgica 
em todas as luxúrias desta submissão. 
O sabor do meu Mestre, 
é esse sabor de servidão 
que Ele lavrou 
nos caminhos submissos desta serva
fruto da Sua criação.