<                           

























Mostrando postagens com marcador MOMENTOS. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador MOMENTOS. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

CONJECTURAS - AS ESCOLHAS




A vida é feita de escolhas. Umas boas, outras nem tanto. Há escolhas certas, há escolhas erradas.
Um dia eu escolhi trabalhar, estudar, escolhi ficar de cabelos loiros, escolhi ficar de cabelos lisos, escolhi  me senti sensual, escolhi uma coleira  (fui num pet e comprei uma e pus no pescoço e tirei uma foto para ver como eu ficaria de "escrava-cadelinha" – é... gostei de me sentir assim...

Mas um dia eu desejei ter um dono, ter alguém para dedicar um lado totalmente fora do convencional para muitos. Eu escolhi Te servir. Por diversificados motivos. Desejos despertados, confiabilidade, segurança, tesão, ensino, aprendizagem, exigências, autoridade, fetiche, erotização, etc. Escolhi abrir mão de um relacionamento comum para investir noutro mais diferente. ("AQUELE” relacionamento) tem lá suas virtudes, é belo, etc., mas..., mas  não tem  o que preciso que é SM (que é justamente o que ESTE pode me oferecer)...






Nalguns momentos, nessas escolhas, havia um leve conflito de interesses – entre a personalidade social e a personalidade fetichista. E de posse de muitas escolhas realizadas, corri atrás de uma escolha atrevidamente perigosa. A escolha de ser serva. A mais perfeita das escolhas se for bem aproveitada. O homem que tem o privilégio de receber a servidão de uma fêmea deve se sentir honrado em ser escolhido para tal.

Eu me sinto privilegiada em poder ofertar essa servidão a quem a mim traduz a junção de muitos desejos.

Eu escolhi abrir mão de uma vida convencional-social e decidi “viver a vida”. Em meio a tantas turbulências sociais, trabalhistas, familiares... Eu escolhi a Ti! Porque eu escolhi ser serva. E aprovado por TI como tal eu me sinto imensamente feliz!

Vou estar sempre pronta para Ti. Por que tu és meu escolhido!

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

APENAS NO DESEJO DE A TI SENTIR...


 




 é por debaixo dos panos, 
das cobertas invisíveis 
que posso Te tocar
e sentir Teu pulsar revelado...
o sabor que de Ti emana 
alimenta minhas fantasias 
e faz  reviver esses desejos de fêmea 
que em mim latejam.
Enquanto se vive, 
há sempre uma réstia de esperança viva... 
ou semi viva.




domingo, 3 de setembro de 2017

MUITO ALÉM...


Não quero mais melindres
e nem impossibilidade
Antes,
quero um momento dividido e somado,
cheio de cumplicidade...

- CONTIGO -
******************************************
Um prazer além da Cor
Um prazer da cor da Cor
Um prazer da mesma cor 
Um prazer unicor
sem cor...


quarta-feira, 30 de agosto de 2017

PROCURO-TE SEMPRE!







Procuro-te no silêncio

Na harmonia de uma canção romântica

Na melodia que toca o ritmo do meu coração

Procuro-te nas estradas

Pelas ruas e nas calçadas

Na memória, no passado,

na janela ao meu lado

Procuro-te naquela chuva insistente

De gota e orvalho presente

Nesse mar de sorriso, nesse rio de soluços

Procuro-te nos fetiches, nos desejos, no silêncio

Em cada canto esquecido

Em cada momento vivido

Procuro-te em tudo que se encontra ao meu lado

Nas paralelas da vida

Pelos atalhos, pelas estradas...

Procuro-te!...





sexta-feira, 4 de agosto de 2017

EU TENHO PRESSA!




 Eu tenho pressa. 
Antes que enlouqueça. 
Pois tu tens o poder de desnortear tudo em mim. Mudar tudo. 
Transformar tudo. 
Direcionar tudo  de acordo  com tua rota. 
E eu a sigo de olhos fechados, 
por que confio-te 
e de olhos abertos 
para não perder 
nenhum detalhe desse caminhar...

domingo, 30 de julho de 2017

PARA SENTIR




Para sentir
para eu sentir
para tu sentires
para nós sentirmos

sensações de gozo
sensações orgásmicas
sensações de sensações...

Como sempre
anelo Te sentir, meu amado Mestre!

tua serva

quarta-feira, 19 de julho de 2017

SENTIR TUDO DE TODAS AS MANEIRAS





Fernando Pessoa Álvaro de Campos


Sentir tudo de todas as maneiras,
Viver tudo de todos os lados,
Ser a mesma coisa de todos os modos possíveis ao mesmo tempo,
Realizar em si toda a humanidade de todos os momentos
Num só momento difuso, profuso, completo e longínquo.

(...)

Multipliquei-me, para me sentir,
Para me sentir, precisei sentir tudo.
Transbordei, não fiz senão extravasar-me.
Despi-me, entreguei-me
E há em cada canto da minha alma um altar a um deus diferente.

(...)

Foram dados na minha boca os beijos de todos os encontros,
Acenaram no meu coração os lenços de todas as despedidas.
Todos os chamamentos obscenos de gesto e olhares
Batem-me em cheio em todo o corpo com sede nos centros sexuais.

(...)

Oh, vós todos, todos vós, casuais, demorados,
Quantas vezes tereis pensado em pensar em mim, sem que o fizesses.
Ah, quão pouco eu fui no que sois, quão pouco, quão pouco.