Mostrando postagens com marcador PEDAÇOS QUENTE. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PEDAÇOS QUENTE. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

SEQUIOSA POR TI

sequiosa pelos prazeres 
que Tu me ofertas
eu quero continuar 
a beber dessa lascívia,
mesmo através de 'migalhas'...

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

OS PONTINHOS...

 


Vejo que este ano está carregado de “pontinhos”. Isso me excita e me incentiva. Então, passeando por eles, Tu me apareces com o maior de todos os desafios já visto e tido por esta serva! Me evocando, me convocando, me desafiando a ir em busca desse prazer fascinante, só que agora em outra direção, em outra dimensão. Eu adoro desafios, quanto mais vindo carregados de markas, enunciados e embebidos de indecências...

Desafio dado, desafio aceito! 16/01.


domingo, 17 de dezembro de 2017

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

EXPLOSÃO



Acordei com uma explosão, acho que era explosão de fogos de artifícios, não sei porquê. Nem feriado era, nem período de vestibular era. Era cedo da manhã. E como sempre, levanto às 5.00h, corri para este cantinho, na alegre esperança de encontrar o meu Mestre. Mas foi só esperança mesmo. Nada. Apenas um emoticon de outros dias passados, que não traduzia sua pessoa. Tão markante, tão presente. Quase estranho, já que não aprecia coisas "fora do padrão reto e rígido dele". Suspirei.

Nada. Será que o que estou escrevendo não está sendo de Seu agrado ou aprovação? Ou será que falei algo indevido? Um monte de fogos começam a pipocar dentro da minha cabeça, na minha imaginação. Inquietei-me. Mas não consegui aquietar-me... Mais suspiros. Deitei nas almofadas, liguei a TV, mudei várias vezes de canal esperando o tempo passar para preparar o café e depois sair. Fiz algo típico da região – tapioca, ovo estrelado e caldo de carne.

Mas ainda assim fui buscar o Mestre. Corri novamente ao cantinho das revelações de desejos (blog). Nada. E quando isso acontece pronto! Invés daquela volúpia que cresce, que consome, que ensandece... Não durmo mais direito, o coração fica acelerado, nasce uma inquietação desgraçada. É um verdadeiro tormento!

E constato que esta submissa é markadamente dependente das explosões que Seu Mestre nela plantou. Parece paixão? Parece loucura! Mas e daí!? Alguns podem me chamar de louca... e chamam. Mas como dizia Nietzsche:


“Se minhas loucuras tivessem
 explicações não seriam loucuras”.


Eu não quero entender, nem quero explicar as razões, nem os porquês de tudo que este Mestre provoca nesta serva. Ele provoca todas as sensações plausíveis e possíveis. É dor, é prazer, é raiva, é vontade, é desejo, é paixão, é tesão... são tantas markas que explodem e ressoam em minha vida de todas as formas e sentidos! É simplesmente "adorante"!


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

SONS MARKANTES





Eu quero ouvir o som da Tua excitação,

Eu quero ouvir o som do Teu prazer

Expressado em Teu olhar

Esse olhar furtivo, MARKANTE

Eu quero ouvir o tom de Tua voz

Eu quero ouvir o timbre de Tua vontade

Ouvir a sensibilidade de Tua pele

Sorver Tua língua, Teus desejos

Eu quero o despertar de Tua excitação

Eu quero ouvir o zunir do tempo parado

Eu quero ouvir a explosão do Teu tesão...



terça-feira, 21 de novembro de 2017

UM PODER PREPONDERANTE!





Quando de repente aquela convocação ansiosamente aguardada chega:
- Ylena!
A voz do Mestre. O comando do Mestre. O chamado do Mestre!
- Sr? Pode dizer meu Senhor!
E a serva fica à escuta, à espreita, aguardando as ordens que precisas soam daquela boca que transmite desejos e desafios.
O encontro é markado. Putz! Isso é espetacular e ao mesmo tempo desafiador, pois a serva  não se achava adequada para este momento na presença de seu adorado Mestre. Mas jamais cogitaria da possibilidade de dizer um NÃO. Sob hipótese alguma! Tinha  um compromisso com a saúde e não poderia  faltar. Dois interesses importantíssimos ao mesmo tempo. Um teria que aguardar o outro e assim foi feito, de forma compreensiva o Mestre norteou a decisão.
Aquele andar... Uau... Jamais esquecerei aquele andar. Um andar imponente. Audacioso. Dominador. Era Ele. O coração dispara.
A memória viaja. A memória se materializa, os sons se tornam audíveis.  Lembrando os meus gritos dizendo “não” enquanto eu mesma me empurrava para o SIM do prazer do Mestre. Aiai, suspiros...
Queria ter corrido em casa, tomado um demorado banho, lavado cabelos, feito escova (essas coisas de mulher – e não propriamente de escrava), mudado de roupa, colocado a perigosa mala no carro e assim está para o desfrute. Com toda luxúria possível... Mas não foi exatamente assim. Só pude lamentar... e festejar; e como festejei! Sempre é um grande privilégio e um extremo prazer poder gozar da presença do meu Senhor Dom Marka. É incrível como Ele tem esse poder preponderante sobre esta serva. Não há hora, nem lugar, nem clima – faça chuva ou faça sol.
Foi uma eternidade de momentos...  Foi possível fragmentar cada segundo em milhares de minutos e esses minutos se  transformaram em eternidades. Muitas eternidades.  Regadas com sensações extras com aromas de desejos, ao tempo em que se rebuscavam memórias eternizadas no tempo de nossas vidas. Como não lembrar o prazer delicioso provocado entre Senhor e serva e vice-versa? Cada momento foi espetacular, único, markante! Sempre deliciosamente relembrado, desejado e memorizado.
E ali, naquele local, de outrora, Mestre e serva se deliciaram, articularam, planejaram e novos desafios foram introduzidos. E como é sempre bom acarinhar com a língua o prazer do Mestre, sentir a explosão do Mestre aquecendo a boca...
No final do momento, uma venda invisível (olhos fechados) e a serva, ali, naquele cantinho, parada, sendo devolvida para... Para onde mesmo?  Sentiu aquele toque, aquela mão, aquele cheiro... que impregnava o ambiente e depois apenas um bater de porta. Pahhh!  Ao abrir os olhos, a busca pelo Mestre amado, que simplesmente evaporou-se, ficando a serva, ali apenas, num local aparentemente desconhecido. E agora? Para onde seguir? Direita, esquerda, frente, ré?... Decidido: seguir em frente, sempre. Como uma fêmea inteligente, claro, e buscar informações para poder melhor se situar onde estava.  Assim foi feito e chegado a um lugar ‘mais civilizado’ (risos), isto é, mais conhecido. Alívio! (ufa!).
Meu Senhor gosta de provocar nessa serva todos os efeitos de Sua dominação. E o pior (ou melhor, já nem sei), é que eu simplesmente adoro isso.