Mostrando postagens com marcador PIAUÍ. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador PIAUÍ. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

BDSM SEM FRONTEIRAS – DO MUNDO ATÉ AQUI



Finalmente o BDSM rompe fronteiras. Alguns anos atrás tive contato com uma Domme que  reside por essas áreas, nesta cidade. Ainda correndo com a tese, mas avançando. Saindo também dos braços da "mamãe",  saindo do "interior" e voltando para a "civilização"...

BEM, FALANDO UM POUCO DO ANDAR DO BDSM E COMO ELE JÁ SE REFLETE NO BRASIL E NORDESTE.
Desde que teve seu nascimento, desde a pedra lascada, desde a criação homem, quando nas Escrituras, Deus delega ao homem o “domínio” sobre tudo na terra, a relação de submissão e dominação perpassa por vários momentos na história da humanidade.
Como na conquista de tribos, povos, nações onde o vencedor subjuga o vencido a lhe servir de algum modo, de forma a satisfazer seus anseios, sejam eles quais forem: políticos, carnais,  luxuriantes, etc. Nas civilizações antigas as realezas tinham à sua disposição servos e  servas para  seu bel-prazer, o que incluía uma  verdadeira  veneração  e servidão  à autoridade constituída.
Desde quando Sacher-Masoch  despontou com seus tão discutidos gostos diferenciados para o prazer: como ser caçado, amarrado, sofrer castigos, humilhações e até fortes dores físicas causadas por uma mulher opulenta vestindo peles e empunhando o chicote; fantasiar-se de serviçal, juntar fetiches e disfarces; colocar anúncios em classificados, assinar “contrato” com a mulher amada e, se preciso fosse, prostituí-la, onde suas aventuras com algumas mulheres em particular  lhe renderam livros, e nicknames a elas, como  a “A Vênus das Peles”, causou escândalos nuns e encantos noutros. Muitos ficaram encantados com sua “dor” sensual ou ferina. Saindo do campo literário e pedagógico para adentrar na vida de prazer de muitos lordes, senhoritas e madames que se identificaram com esse lado de exalar prazero Masoquismo.
Mas diz a história que tudo tem seu lado contrário. E assim, para ter o seu prazer sofrível, de fato, precisava ter outra que impetrasse esse prazer. Aquela pessoa que sentisse prazer em fazer o outro “sofrer”.
Daí entra François de Sade - o famoso Marquês de Sade, que traz a excitação e prazer provocados pelo sofrimento alheio como foco de prazer sexual, onde o parceiro reflete essa excitação sexual, no sofrimento psicológico ou físico, incluindo humilhação particular ou pública. Nascendo, assim, a outra face do prazer - o Sadismo. Os prazeres perpassando do campo individual para o prazer sexual social, pois alcança todas as classes, níveis e estratos sociais; todos os sexos, todas as raças.




 


E nesse andar evolutivo, nasceu o BDSM – Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo. Aqui nesse mundo, homens e mulheres de toda esfera terrestre se tornam cada vez mais adeptos. Na Europa e Estados Unidos o BDSM tem se tornado estilo de vida para muitos. A chegada  do BDSM ao Brasil, ainda sem uma data exata, até porque o prazer em servir e ser servido vem da nossa construção enquanto seres humanos, precisando apenas aflorar. Mas com certeza deve ter seus mais intensos reflexos em São Paulo e Rio de Janeiro, e, como semente em bico de colibri, foi se espalhando entre as regiões e entre os Estados como Minas Gerais, Goiás, Brasília.
O Norte e o Nordeste são as Regiões caçulinhas. O Nordeste desponta como  uma das mais novas regiões a aflorar o BDSM, em alguns Estados, com comunidades, sessões e encontros periódicos entre Mestre, Dono, Senhor, Dom, Dominador, Top, Domme, Rainha, Deusa, submissa, bottom, slave, serva, escrava, etc. e tal – tudo terminologia ou vocábulos do meio BDSM.
Recife, Fortaleza, Natal, Bahia, Maranhão e Piauí. No eixo Piauí-Maranhão já há um grupo coeso e crescente de adeptos SM, onde promovem encontros periódicos. A Rainha Maia criou uma comunidade no Facebook para contatos e encontros periódicos de bdsmistas em Teresina, por exemplo. A comunidade conta com cerca de  20 participantes.  
Ainda não tive coragem de me associar, nem de participar de nenhum grupo.  Quem sabe numa outra região ou Estado eu velha a me adentrar um pouco mais...
Alguém certa vez me perguntou se existia isso no Nordeste: Existem, sim, dominadores no Nordeste, no Piauí, no Maranhão, na Bahia, no Ceará.
Por acaso, algum tempo atrás, em minha curiosidade de mulher e principalmente de fêmea submissa, observando por uns minutinhos, uma sala de bate papo, a Rainha Maia fez convite para participar de encontros que acontecem periodicamente no Piauí. Mas deslocar-me para lá teria que ser  algo muito preciso e certo.
Decerto que fiquei  com a curiosidade elevada ao ponto máximo. Mas também bem arrefecida, pois por mais desejos ou curiosidade que eu tenha em relação a BDSM, esses desejos e minha vida  enquanto submissa pertencem ao Meu Mestre e Senhor  Dom Marka – a quem livremente deleguei  e entreguei todo meu prazer BDSM. É ELE quem direciona tudo relacionado à minha servidão. Até o dia que Ele quiser, claro. Eu fiz um pacto de entrega de vida e servidão para com Ele. E nada, absolutamente anda que se refere a BDSM, em minha vida, é gerenciado de forma AUTÔNOMA. Só faço se ELE QUISER, se Ele  deixar. Mesmo que eu deseje...





Todos que apreciam o BDSM devem ter em conta que  no momento em que há uma relação desse cunho, tanto top como slave têm um compromisso onde regras e limites de obediência devem ser cumpridos. Isso se chama respeito. E eu respeito muito meu Mestre, que é o Senhor mais importante  na minha vida BDSM. Ele está acima de qualquer outra pessoa do meio – a todos meus sinceros respeitos. Mas minha obediência integral é a ELE.
Quando respeitamos nosso “Mestre”, preservamos-lhe sua posição de Mestre, de quem manda. Uma serva deve ser e é muito mais que um objeto de prazer de seu dono. Ela é uma GUARDIÃ, para que sua vida seja tranquila. Uma serva não pode ser uma ameaça, mas sim, uma fonte de recebimento  e doação de prazer ao seu Dono. A serva é um complemento da vida BDSM de seu Senhor. E isso é real naqueles momentos de prazer numa sessão inesquecível. Por isso é mister que tudo na vida da submissa deve ser de conhecimento de seu Senhor, até mesmo para que  haja um melhor entendimento de alguns comportamentos, de alguns momentos.
Numa relação BDSM a serva não é anulada, ela é moldada, construída com a Marka de seu Dono, com arremates que cada vez mais caracterizam ELE mesmo. Por isso sempre defendo que a submissa é o reflexo do seu Mestre. Ela é aquilo que ele a transforma. O prazer BDSM é tão sublime quanto ao prazer de viver com prazer.
À vista disto, quer na Europa, Estados Unidos, São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília, Minas Gerais, Recife, Bahia, Maranhão e Piauí 
VIVAMOS, 
pois, o BDSM com prazer, discrição e responsabilidade.



sexta-feira, 16 de junho de 2017

UMA DECLARAÇÃO??? PODE SER ESTA?!









Mestre amado de todos os meus desejos SM
Senhor do meu coração e razão de minhas fantasias
Aquelas sentidas, desejadas e vividas
Aqui, prostrada ante Tua presença - pois este é o   meu local, desde quando Te seguir, e, para sempre
Primeiramente minha reverência a Ti,
Te faço conhecida  a súplica desta serva que clama e anseia  por Ti, por Teu toque, por Tuas mãos
com desejos markantes de se entregar  aos Teus caprichos de Dominador,  de Mestre, de Senhor... 
e por que não dizer de DONO?
Anelo por sentir Tuas markas, Teus fluidos neste corpo de  serva.
Mestre e Senhor do meu coração:
sempre disponível estarei para chegar à Tua presença, tal qual súdita e cumprir o desejo do seu Senhor
Pois é assim que me entrego
E é  assim que Te quero, que me quero a Ti
Desejo, sim, sentir o calor do Teu cálice derramando em minha boca...
de Tua mão em minha face (tua),
aquecendo meu sangue que pulsa clamando...
Este clamor representado pelo meu olhar súplice abobalhado que Tu já conheces...
Mais Mestre... mais meu Senhor
Atenda, defira pois o pedido desta que vive para Ti,
Alforrias-me quando me cativas a Ti 
pois é aos Teus pés que sinto liberdade
Excita-me Tua respiração...
Que me faz arrepiar a alma, impávida de tesão
que faz explodir o gozo com Teu Eu
que me rasga a nudez dos meus sentimentos
que me deixa faminta deste Teu ímpeto desejo...
És por Ti todo meu tesão, Tu que mexes com minha imaginação. 
Sim, sou Tua escrava e és meu Domador - domador de escravas.
Tu que me alcanças sem me tocar
e quando me tocas destrói toda e qualquer barreira de resistência ao prazer molhado que exala de meus poros
Eu sou a fêmea mais livre deste meio, pois Tu me destes a liberdade de servi-Lo!
Obrigada, Mestre!



quarta-feira, 26 de abril de 2017

NO SILÊNCIO

No silêncio
sempre bom ouvir o som de Teu prazer
Mexes com minha imaginação...

Estou aqui, 
sempre em silêncio, 
mas clamando por Tua marka...