<                           

























Mostrando postagens com marcador SEDÚCEME.. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador SEDÚCEME.. Mostrar todas as postagens

sábado, 22 de julho de 2017

DO TEU CHEIRO – TEU SABOR





O gosto da Tua pele
impregna meus lábios
e me mata a sede
à beira da fonte dos Teus prazeres.
- Meus prazeres
O Teu gosto na minha boca...
hummmm....
mel que sacia meus desejos
em meio aos meus lençóis.
O Teu cheiro dominador impregnado
no meu corpo, em minha mente
em meus olhos.
é um perfume especial que
ninguém levará de mim...
.
.
.
.
Sinto Teu cheiro
Teu gosto
Teu sabor por inteiro
tal néctar em flor
Venhas!
embebeda-me de Teu tesão.

domingo, 11 de junho de 2017

CAMINHOS QUE LEVAM

 

Todos os meus caminhos 
me levam à Tua Presença.
quer em pensamento
quer na realidade
busco-Te pelo infinito
alcanço-Te em meus sonhos
satisfaço-me com Tua presença
Tua marka é sempre viva em meus desejos. 


sábado, 8 de abril de 2017

DA LINGUA À MÃO... TROCAS




Trocas
seduções
use suas armas
use seu corpo
cada parte
cada partícula
em momentos propícios,  
ou não.


quarta-feira, 29 de março de 2017

ENTRE OS CAMINHOS





Nem podia imaginar o que uma simples ligação, um telefonema poderia causar num coração em alta voltagem BDSM. 
Não costumo atender ligações após as esse horário, quando estou no trabalho.  Afinal é meu horário de almoço, isso não me obriga a atender. Mas naquele dia, especialmente naquele dia atendi. E para minha surpresa era Ele. Com Aquele voz inconfundível. Com suas interpelações inimitável. Quando perguntou quem fala e Ele mesmo respondeu numa afirmativa interrogativa. Nesse momento o coração disparou, acelerou mesmo em batidas desritmadas, descompassadas, sem acreditar no que a mente ouvia.
Sim, não havia dúvidas, era Ele. A voz dele. A forma de falar Dele. 
Sabia que uma ordem chegaria. Como sempre, Ele é muito preciso, objetivo,  de uma praticidade que quase o mecaniza. Eu gosto por um lado, mas por outro lado eu detesto. Pois queria sentir a fluidez de  Suas emoções, ver  o sorriso emoldurando aquele rosto que tanto adoro.
O Mestre. Será eternamente meu Mestre, pois com Ele eu aprendo o que é necessário para nossa relação andar dentro das possibilidades.
Procuro sempre me moldar dentro de Seus padrões, pelo menos nalgumas coisas. O alvo final é alcançar o ponto ideal de Suas expectativas. Exclusivamente no Servir e serví-Lo.
Quando Ele se aproxima uma salada de sentimentos emolduram minhas atitudes. Medo, Desejo, Prazer, Vontade, Tesão... Amor. 
O Seu toque é algo que queima como larvas vulcânicas. Faz a Pressão Arterial subir,  as hemoglobinas entrarem em ebulição. A boca secar e a buceta umedecer. E emudece. Silêncio. Quebrado pela respiração desconserta, pelo pulsar acelerado, pelas mãos que geralmente  agem...
A boca seca fica lubrificada à medida que Seu cacete faz o movimento de vai e vem de forma acelerada, como se a garganta fosse uma pista de alta corrida, alta velocidade...
Quando a explosão multicor lubrifica tudo, entranhas à dentro a sensação de prazer completo  pode ser  sentida na quietude do coração que faz caminho reverso e vai voltando ao normal de sua aceleração.
Parece um samba em plena evolução, com harmonia completa, em avenida de carnaval.
A aquietação vai repousando  nos corpos, que outrora em frenesi se agitavam. Mestre e serva parecem retornar de uma viagem, ocorrida em esfera diferente. Mesmo, que, ainda embebecidos pelo prazer envolvente.
A realidade quente vai  se materializando e a volta à vida normal também. A viagem naquele momento chega ao fim. E estamos prontos para desembarcar.
Quando vem a pior das partes, é quando Ele vai por entre os caminhos da vida, se distanciando... Enquanto a serva fica puxando para si, com o olhar, aquelas pegadas, aqueles passos que se esvaem por ali...
Ficando desejos, saudades e uma serva...

 

quarta-feira, 22 de março de 2017

EU QUERIA TER UMA COLEIRA VIRTUAL




Nos primórdios de meu aprendizado e conhecimento BDSM, principalmente em salas de bate papo UOL, pude ver as pessoas, submissas, desfilando com suas "coleiras" virtuais. Aquilo me dava uma inveja! Principalmente quando as 'meninas' diziam, eu tenho um Dono!...
O que é a coleira virtual? É o nome do bottom, seguido pelo nome de seu Top. 'Miudando': o nome da submissa seguido pelo nome do seu Dono. serva ylena di ..... ou (serva ylena)_.....  enfim, pode ser grafado da forma que for escolhida pelo Dono ou em comum acordo com a sub. Eu cheguei a usar isso, mas não entendia, nem sabia a extensão do significado e simbologia  da coleira. 
Eu não compreendia a seriedade, o respeito e a obediência em se vivenciar uma vida com estilo  D/s. Quando tive a oportunidade de  um contato com o Mestre, pude ir assimilando o que era cada coisa, principalmente pela forma íntegra com que Ele transmitia as facetas do BDSM. 
De animosidades para o concreto. Num primeiro momento da real realidade pude já sentir na pele e no corpo o que o BDSM poderia me proporcionar. E eu gostei. Queria mais.
Enveredei-me por conselhos errados e perdi a chance de um contato mais intenso com o Mestre. Mas todas as Markas que foram traçadas no decorrer dessa caminhada, nem se comparam com as urzes que também foram tiradas.
Houve momentos em que a desistência parecia ser a solução para tudo. Mas a mesma desistência era o problema. Porque aquela mulher, feita de conhecimentos acadêmicos não se sentia mais livre dos desejos SM que permeavam sua mente, queria uma coleira, queria sua liberdade, aprisionada numa masmorra de sentimentos conduzidos por um Sr, pelo O Mestre
A primeira impressão BDSM foi extremamente markante. Markas essas ratificadas com o decorrer do tempo, onde o desejo da "coleira" era quase uma obsessão. Uma prova de que essa serva não era fake. Não era virtual. Era uma fêmea com reais desejos de submissão. 
Corri atrás de literaturas, sites, blogs, conversas com todos que aparentemente poderiam agregar mais conhecimento nessa minha jornada BDSM. Como já frisei, amiúde, alguns só se aproveitaram da minha inexperiência,  inocência... Mas isso também fez parte do meu crescimento, da minha construção de serva. 
Não sei se terei uma "coleira virtual". Ou qualquer tipo de coleira.
Eu, uma mulher...e hoje eu, Serva -  serva ylena.

segunda-feira, 13 de março de 2017

TUDO ERA SUBENTENDIDO






Havia aquela promessa subtendida. Calada, mas visivelmente real.  Encontro contratado, desejado, esperado com inquietude e ansiedade. Paixão e muito tesão. Ele acendia o fogo e fazia crepitar as labaredas dos desejos de ambos.  Foi-se revelando. Foi-se escondendo. E nesse mix de esconde-esconde, como brincadeira de criança... Nesse vai-vem, qual gangorra. Nesse sobe-desce, feito ioiô, ela foi se elastecendo. Santa-pecadora, mulher-menina, inocente-depravada. Uma mistura de  mansidão e urgência de senti-lo, de querê-lo. De querer ouvi-lo tal como naquele momento primeiro, daquele encontro markante, com faíscas no olhar, com fogo nas mãos invasoras... O sentir... O ouvir... O tocar... misturas de desejos, de tesão. De sonhos  sem disfarces, sem  mentiras, puros... profanas... Juras disfarçadas de promessas de muito mais, sempre mais... Quanto mais confiança  se construía, mais cativa se sentia e mais distante ele ficava. Levando sempre consigo um pedaço de um coração sonhador. Vejas?! Ele está dilacerado. Fragilizado. Esvaindo-se em todos sentimentos opacos: Choro, lágrima,  até mesmo raiva.  Precisar de um tempo é muito tempo. Quanto mais tempo, esse tempo se esvai sem tempo.  O coração aperta. O peito belisca, comprime. Uma dor sem dor, que traumatiza a alma, faz fungados. Mãos que não se animam a mais escrever. Canções só de lamentações. Poemas de  ausência. Repletos de vazios. Manchados de lágrimas coloridas, da cor do arco íris. Que um dia foi esperança. Sim, a esperança não era somente verde, era multicor – arco íris. Hoje nublado, com nuvens carregadas. Esse teclado  de computador toca uma música triste,  repetitiva... Sem direito a mudanças. Enquanto muitas pessoas que podem mudar um destino, simplesmente o ignoram ou o jogam fora. Mudando vidas, sonhos, resistências. Dói perder. Mas perder o quê mesmo?: O que tive além de promessas? Além de desejos sonhadios, prazeres fugidios? Injusto falar assim, afinal agarrei-me a ondas e ondas se desfazem, elas vêm, mas também elas vão... Queria tanto te falar da falta que tu me fazes, dos desejos que contigo desejo.  Mas esse insensato coração terreno não tem asas para ir ao teu encontro, somente aqui no limite dos desejos, porque o prazer de ter-te  tu coibistes. Abortas quando  priva um coração de  se entregar. Não quero fazer como muitos saindo por ai, avulsamente, brincando ou se divertindo com outros sentimentos sem sentidos, sentimentos sem  âncoras de entrega real, verdadeira, dedicada. Não se esperava um dia passar por tudo isso. Foi-se o tempo. Foi-se o vento. Ficou apenas a fêmea, escrava dos desejos, submissa de uma marka, quase invisível, mas que existe cunhada no mais íntimo do coração. Como preciso e gostaria tanto de aproveitar Sua marka em mim!

quinta-feira, 2 de março de 2017

QUANDO A FANTASIA DE TORNA REAL





Assim nasceu aquele desejo insano, quase profano em ser possuída por Ele. Em “servir” a Ele.
Ele era "letras", era "imagens". Mas certamente também era "real".
Foram desejos construídos a partir de palavra... palavras picantes, libidinosas, desejos revelados, desvendados, desejados...
Assim foram criados laços, laços de dependência, laços de um relacionamento eminente, onde as caricias, ordens, obediência eram mantidas.
Ela se tornou totalmente dependente de suas manifestações dominantes.
Mas ainda não se sentia completa, realizada, total. Um resquício de vazio ainda dominava sua alma. E aquele vão precisava ser preenchido.
Foi quando, finalmente, decidiu que já estava pronta para fazer florescer todas aquelas fantasias. Markar um encontro que deveria ser regado com todos os desejos ocultos, proibidos, obscenos e até mesmo sagrados.
E assim, ela foi, ao encontro do prazer, da concretização materializada das letras. Entregando-se de olhos vendados, mas de coração e peito escancarados; de boca entreaberta. Pronta para a receptividade: de ordens, de corpo, de fluidos...
A realidade é que a fantasia é a mais real manifestação dos desejos reais. É lá que nasce e é gerada.
A materialização é apenas uma questão de toque...


quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

NUMA CAMA MUITA COISA É POSSÍVEL













Uma fêmea imobilizada
à mercê do prazer de um macho dominador
tudo de bom...
Para desfrutar as mais loucas fantasias