Mostrando postagens com marcador TARA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador TARA. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

OUVIR-TE, MESTRE!

O melhor som que uma serva  pode escutar é ouvir o som do Mestre. Aquele som que vem quase como imposição. Quase como ordenança. Faz tremer as bases. Faz acelerar emoções, vontades e pensamentos. Faz viajar, muitas imagens, momentos permeiam a mente. Como esquecer o som mais markante de todos os sons? Eu fico sempre abobalhada, sem ação e sem noção.
Enlouqueço-me Contigo, Mestre!

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

A INICIAÇÃO DE ZENE - CONTO

ZENE era uma daquelas mulheres extremamente comportada, aparentemente recatada. Muito família.  Casada. Zeladora do seu lar. Acima de qualquer suspeita. Um longo casamento, regado com muitos mimos. Já era o quarto casamento do seu então marido. Mas isso nunca foi problema. Eles se gostavam e dessa relação geraram 5 filhos. Em sociedade era tudo elogios. A harmonia reinava. Mas cada um tinha um desejo. Um fetiche secreto. Um anseio que faltava ser preenchido com umas taras inconcebíveis. Era um pecado capital.  Mas o desejo era maior.
Certo tia, ZURI fez uma viagem para outro país distante, mas conseguiu cumprir seus compromissos 2 dias antes. E resolveu voltar pra casa, decidido a fazer uma surpresa à ZENE, chegou em casa mais cedo, sem avisar; entrou em silêncio, deixando sua pasta sobre a mesa de centro e retirou os sapatos para ficar bem à vontade e acentuar a surpresa. Qual foi sua surpresa quando ao entrar no quarto encontrou sua recatada  esposa totalmente nua, com gemidos entrecortados, esfregando a buceta com os próprios dedos, enfiando-os cada vez mais profunda e rapidamente, quase aos gritos. Certamente era o prenúncio de um  gozo anunciado.
ZURI sentiu seu cacete crescendo com a cena: um corpo nu, encharcado de prazer, convidativo à todas as luxúrias. Teve, então, uma ideia que poderia satisfazer os desejos e fetiches secretos de sua parceira e quem sabe até seus próprios. Voltou na ponta dos pés e sentou-se na sala e completou o gozo com uma acelerada punheta. Se recompôs  e algum tempo depois começou a chamar por ZENE.
- Querida! Querida! Cheguei!
ZENE, satisfeita, correu ao banheiro e também gritou: 
- Estou tomando banho, vou já!
Ao entrar na sala o encontra com a maleta de viagem. E comportadamente desejou-lhe boas vindas. Dando-lhe um beijo na testa.
ZENE pega a maleta e leva para cima no quarto. Coloca-a no criado-mudo e desce para preparar algo para seu par.
ZURI diz que gostaria de fazer-lhe uma surpresa. Ela fica curiosa e desconfiada. Pergunta de que se trata. Ele calmamente diz para esperar até o dia seguinte.
A inquietação toma conta de ZENE que passou o resto do dia com uma 'pulga atrás da orelha'. A noite chega e foi o maior love. Pela manhã, após o café e levar os filhos para a escola, ZURI, também movido pela curiosidade e pela própria experiência resolveu na volta passar num sex shop que ficava na estrada de sua casa.
Entrou e olhou aqueles objetos de tesão, fetiches e paixão de muitos. Escolheu um pequeno plug, pois pensava que agora, sim, depois do que viu poderia iniciar sua parceira em algumas práticas de prazer. E um plug serviria de consolo até mesmo quando estivesse ausente. E assim fez.
À noitinha, ao retornar do trabalho entregou-lhe aquela caixa, que ela olhou meio desconfiada, se questionando o que poderia ser. E qual foi sua surpresa ao encontrar um plug dentro daquela dourada caixa, que mais parecia um convite de sonhos. Não entendeu bem. Mas a aproximação do seu macho, causou-lhe tesão.  Ele pediu para ela fazer um streep lentamente. Obedeceu, com receios...
Ao ficar totalmente nua, ele  colocou uma venda em seus olhos e a conduziu até o meio do quarto enquanto  higienizava o pequeno plug prata, untava  e com maestria a conduzia àquela cama, deitando-a de bruços e começou a tocar em suas partes íntimas, suave, com mais vigor e ela se arreganhava cada vez maias para receber esse prazer louco e que costumava realizar sozinha...
Sentiu uns dedos em seu cuzinho,  relaxou, sentiu uma língua, adorou  e se entregou... ZURI, aproveitou esse momento de entrega total e  foi colocando aquele pluginho já lubrificado. ZENE sentiu uma pequena dor, mas nem se comparava às sensações que estava sentindo... Se soltou, se contraiu, gemeu, gritou. Queria mais, mais e  mais... 
E assim, ZURI inicia aquela fêmea louca por prazer àquelas práticas deliciosas...
O próximo passo será mais ousado, pensava ele...
 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

VENHA LER-ME...

O escritor Rubem Alves 
disse que
Ler é fazer amor com as palavras”.

Então, 
venha gozar em minhas letras...

sábado, 6 de janeiro de 2018

O TEMPO MUDOU...

 



Os dias parecem que 'andam' de forma diferentes.
Foram tantas empolgações neste final de ano que “brinquei” à vontade.  Ultrapassei alguns limites antes inimagináveis.  Mas no início do ano sempre vem aquela correria. É o pior momento do ano, acho eu. Muitas responsabilidades. E ainda alguns probleminhas de terceiros que me renderam alguns milhares de prejuízos. Acho que tenho que deixar esse minha “veia” de boazinha e ser mais fria e calculista. Só assim quem sabe, pode-se trazer um equilíbrio a algumas situações.
O clima por aqui melhorou no aspecto de que aquele calor escaldante sumiu. Por outro lado “peguei” uma chuva daquelas que me deixou meio resfriada, garganta irritada, nariz irritado, rouquidão. Grrrr. Que raiva! Doem as amígdalas.
Vontade de ficar somente deitada, contemplando as lembranças, os desejos e lamentando esses dias que pausei minhas ‘investidas ousadas’. Incrível como tudo volta ao normal quando se para!  É como se voltasse ao ponto zero.
Por falar em ponto zero, em minhas últimas consultas, meu médico disse que tenho um útero pequeno (como uma virgem intocada). Gostei de saber disso não... Para alguns isso é espetacular, tudo apertadinho; mas para outros, quanto mais relaxado, ‘esgarçado’, bem aberto mesmo, melhor para markar. Eu mesma queria ter um bucetão enorme para encher de prazeres ousados! Quantas maluquices!
Estou pensativa demais esses dias. Tantas coisas a acontecer em meu derredor. Desanimei. Queria concretizar uns negócios aí, mas ainda não deram certos e isso atrasa e atrapalha outros alvos, outras metas.
Vou pelo menos tentar me concentrar em recuperar minha voz e retornar às minhas ‘práticas’...

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

QUANDO TU ME CHAMAS




Eu vou correndo
Rebolando, arrastando
Tal qual escrava de senzala
Ou como uma  puta-dama
Quando Tu me chamas
Vou feito fêmea no cio
Esperando a Tua dominação e posse
Quando Tu me chamas
A mulher aparece ao tempo que a menina “abobalhece”
É Contigo que sinto as chamas do tesão
Que meu corpo entra em erupção
Em desejos desenfreados
Regados pelo Teu prazer
Porque Tu me ensinaste e Te servir de mim
Por isso quando Tu me chamas eu vou correndo
Só para Te encontrar.

LIBERDADE EM TI




Minha maior liberdade
é aquela construida
quando estou
aos TEUS pés,
dentro de teus sublimes desejos

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

ESTE CHEIRO GUARDADO




Esse cheiro de depravação, de devassidão
que invade esta fêmea, que se transforma nessa louca serva
que em desejos alucinados espera por tua invasão, 
Tua marka, Teu tesão
sobre uma cama posicionada ou quem sabe, mesmo no chão!
sem tocar a campainha, sem aviso prévio ou permissão
Tu me conduzes em Teus compassos, 
e me chama de putinha e eu caio em teus laços!
Com todas as tuas indecências e querências
Vai me invadindo de tua forma 
e me transforma...!

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

LÁ ESTAREI


onde existir

a paixão

o desejo

a sedução

o tesão

o servir

lá estarei...


nem que seja no fim do mundo
porque ali existirá a melodia do querer
ali existirá Tua presença...

 

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

ALTA TENSÃO




Bruna Lombardi

Eu gosto dos venenos mais lentos
dos cafés mais amargos
das bebidas mais fortes
e tenho
apetites vorazes
uns rapazes
que vejo passar
eu sonho
os delírios mais soltos
e os gestos mais loucos
que há
e sinto
uns desejos vulgares
navegar por uns mares
de lá
você pode me empurrar pro precipício
não me importo com isso
eu adoro voar. 


sábado, 21 de outubro de 2017

ESTEJA DISPONÍVEL PARA VIVER!


ABRA-SE AO PRAZER


OFEREÇA-SE PARA SENTIR


SINTA TODOS OS SENTIDOS
 E SENSAÇÕES DO CORPO


VIVA EXTREMA E INTENSAMENTE!

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

NUANCES DE UM ENCONTRO - CONTO BDSM -










Todo homem e mulher aspiram e desejam um momentos de entrega, de paixão...
Tudo começou com um contato inesperado. Sonhado, tocado... O tempo foi o inimigo. O medo foi o atraso. As distâncias foram superadas. A ansiedade controlada. Um misto de medo e tesão. A espera. Os preparos. A chegada. O desejo. A entrega.
15 dias de expectativa que desencadeou num desejo insano de comer chocolate. Pulando uns quilos pra mais. Merda! Mas tá decidido. Iríamos ao finalmente, sim, Sr. Todo o preparo de coisinhas de mulher foi em vão. Nada foi utilizado. Adeus camisolas de seda. Adeus mini saias. Adeus calcinhas fio dental de rendinhas. Adeus corselet. Adeus calça liga. Adeus meia arrastão. Adeus salto alto. Uma mala de inutilidades... E muito frio.
De cara já senti o tamanho do seu desejo. Seus dedos atrevidamente tentavam me invadir... naquele taxi. Chegamos ao nosso ‘habitat’ e eu totalmente pronta, jorrando... uma gruta que se tornou uma fonte jorrante...
- De quatro!
- Sim, Sr – assim meio relutante, mas obediente.
Aquele belo cacete já procurava se acomodar entre meu calor de fêmea. Como foi delicioso senti-lo dentro em mim, me aquecendo de uma forma tão dele, tão gostosa. O seu vai vem me fazia vibrar e quase chorar. Dor e tesão num mesmo momento. Às favas com a dor.
- mais... mais... – pedia eu. Ahhhhh!!!!! Um lado masoca?!! Que que é isso? Insanamente a boca pedia o que o corpo desejava: sentir o contato do Dono. Sentir o Domínio do Mestre. Sentir que quem manda é Ele. E ele fazia mais... até senti-lo derramar dentro em mim... delícia!... Que gostoso! Mas eu queria ainda mais... queria sentir seu sabor em minha boca. queria aquecê-lo com meus lábios..
Sua voz autoritária, seu olhar perscrutador... dava vontade de fechar os olhos e esquecer o mundo e me jogar aos seus pés e lá ficar beijando, cheirando, servindo... como escrava dele que sou, que lhe pertence. Senti o calor de Tuas mãos em minhas ancas; o cheirinho de couro do Teu cinto e depois o seu sabor quente passeando pelas pernas e bundas... o frog com suas pontas deslizavam em minha gruta, fazendo delirar não de dor, mas de desejo. O Teu carinho. És um homem encantador.
Totalmente encharcada para depois Te sentir me re-invadir sem dificuldade... pois estava naturalmente lubrificada, jorrante... durante todos aqueles dias em que pude estar à Tua disposição para Te servir. Pois nada sou além de Tua serva. Viverei para teu prazer.
Queria mais... ir mais além. Aprender mais. Fazer mais... Ah! mais o tempo. Maldito o tempo que nos impedira de ir mais. De conhecer mais, de entregar mais... Preciso ser explorada. Preciso ser ensinada, corrigida... Preciso do meu Sr...
Ficará sempre a porta aberta para outra oportunidade. E dessa vez o tempo não fará escapar o desejo guardado pronto para ser entregue, usada por Ti, Sr.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

UMA SERVA RAINHA





O telefone toca...
Ainda bem que ela está ali para atender.
- Ylena?
- Sim, Sr...
Pronto! diante dos clientes a fêmea se comporta; mas a serva desaba no seu íntimo; coração acelerado, uma expectativa toma conta da sua mente. Com respiração entrecortada ela espera... parece que  vai se passando uma eternidade.
Surge uma vontade de gritar: - Pode falar, meu Mestre!
Em silêncio aguarda as orientações e as ordens; por conta do ambiente corporativo, dos clientes presentes... vai concordando de forma discreta, quando na verdade gostaria de dizer:
- Sim, meu Senhor!  - Pois não meu Mestre!
Mas, moderadamente vai respondendo ao seu Mestre, de forma que o mesmo possa entender a mensagem emitida.
E é sempre assim: Ele pergunta, ela confirma que é ela.
O encanto vem de quando sempre é ela quem o atende...
É um deleite ouvir a voz do meu Mestre! Uma voz envolvente, segura, possessiva. É quase um mandato!
Com os novos desafios que a mim mesma impetrei, espero  chegar ou sair da presença do Mestre com aquele rebolado de serva, de ‘putinha’.  Com toda provocação que uma fêmea pode transmitir.
Como diria uma música que vi na TV, ontem, da Naiara Azevedo:  com todo sarro. “tô sarrando em você mentalmente”...
É envolvente sentir esse toque da voz do Mestre; é arrebatador o toque de suas mãos; é vertiginosamente torturante, onde minhas pernas tremem, não obedecem ao comando dos meus desejos e sim aos Dele. É uma sensação alucinógena que me retira de mim mesma.
Eu poderia dizer que estou ou no inferno ou no céu: é um inferno de tortura de sensações; é um céu de prazeres e desejos.
Mestre, Tu és em minha vida de serva meu carrasco!  e concomitantemente Tu és meu  libertador!
Tu tens um domínio, um poder que palavras não traduziriam com fidelidade. E muito menos eu como serva sou proba para descrever esse mar de emoções.
Eu nasci de novo, quando Tu chegaste em minha vida, de forma presumida ou não. Não dá pra imaginar minha vida de serva sem Tua condução, Teu parecer, Tua presença.
Lembra-Te quando falaste da ‘rainha da cocada preta?’, pois então, meu Senhor! é assim que esta serva se sente em relação ao privilégio de poder serví-Lo! Uma serva que se sente rainha! Vai entender!
Obrigada, obrigada e obrigada!