Mostrando postagens com marcador TARA. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador TARA. Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 12 de julho de 2018

PRINCESA DE ÂMBAR




 
 

Princesa de pele morena âmbar
De rosto lascivo e lábios pecaminosos,
essa tua boca fala de desejos
envolva-me nesse teu olhar imaculado
com a delicadeza do teu andar
e ferocidade do teu pulsar
acende o fogo em mim
arde-me com fogueiras obscenas
abre-me a janela do tesão
jogue fogo na fogueira do meu coração
e deixe jorrar meu cio quente-ardente
por entre teus lábios...

quarta-feira, 13 de junho de 2018

LIBERDADE EM TI




Prisão de corpo
Prisão de alma
Em busca daquela liberdade
que somente TU podes trazer
Somente TUA presença pode desvendar
Somente TUA marka pode liberar...


terça-feira, 5 de junho de 2018

BELISCANDO O PRAZER...


Você acha que isso dói!?
Dói nada...

Transmite é prazer, 
mexe com os nervos

Traz sensações de taras...
Beliscadinhas...


sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

OUVIR-TE, MESTRE!

O melhor som que uma serva  pode escutar é ouvir o som do Mestre. Aquele som que vem quase como imposição. Quase como ordenança. Faz tremer as bases. Faz acelerar emoções, vontades e pensamentos. Faz viajar, muitas imagens, momentos permeiam a mente. Como esquecer o som mais markante de todos os sons? Eu fico sempre abobalhada, sem ação e sem noção.
Enlouqueço-me Contigo, Mestre!

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

A INICIAÇÃO DE ZENE - CONTO

ZENE era uma daquelas mulheres extremamente comportada, aparentemente recatada. Muito família.  Casada. Zeladora do seu lar. Acima de qualquer suspeita. Um longo casamento, regado com muitos mimos. Já era o quarto casamento do seu então marido. Mas isso nunca foi problema. Eles se gostavam e dessa relação geraram 5 filhos. Em sociedade era tudo elogios. A harmonia reinava. Mas cada um tinha um desejo. Um fetiche secreto. Um anseio que faltava ser preenchido com umas taras inconcebíveis. Era um pecado capital.  Mas o desejo era maior.
Certo tia, ZURI fez uma viagem para outro país distante, mas conseguiu cumprir seus compromissos 2 dias antes. E resolveu voltar pra casa, decidido a fazer uma surpresa à ZENE, chegou em casa mais cedo, sem avisar; entrou em silêncio, deixando sua pasta sobre a mesa de centro e retirou os sapatos para ficar bem à vontade e acentuar a surpresa. Qual foi sua surpresa quando ao entrar no quarto encontrou sua recatada  esposa totalmente nua, com gemidos entrecortados, esfregando a buceta com os próprios dedos, enfiando-os cada vez mais profunda e rapidamente, quase aos gritos. Certamente era o prenúncio de um  gozo anunciado.
ZURI sentiu seu cacete crescendo com a cena: um corpo nu, encharcado de prazer, convidativo à todas as luxúrias. Teve, então, uma ideia que poderia satisfazer os desejos e fetiches secretos de sua parceira e quem sabe até seus próprios. Voltou na ponta dos pés e sentou-se na sala e completou o gozo com uma acelerada punheta. Se recompôs  e algum tempo depois começou a chamar por ZENE.
- Querida! Querida! Cheguei!
ZENE, satisfeita, correu ao banheiro e também gritou: 
- Estou tomando banho, vou já!
Ao entrar na sala o encontra com a maleta de viagem. E comportadamente desejou-lhe boas vindas. Dando-lhe um beijo na testa.
ZENE pega a maleta e leva para cima no quarto. Coloca-a no criado-mudo e desce para preparar algo para seu par.
ZURI diz que gostaria de fazer-lhe uma surpresa. Ela fica curiosa e desconfiada. Pergunta de que se trata. Ele calmamente diz para esperar até o dia seguinte.
A inquietação toma conta de ZENE que passou o resto do dia com uma 'pulga atrás da orelha'. A noite chega e foi o maior love. Pela manhã, após o café e levar os filhos para a escola, ZURI, também movido pela curiosidade e pela própria experiência resolveu na volta passar num sex shop que ficava na estrada de sua casa.
Entrou e olhou aqueles objetos de tesão, fetiches e paixão de muitos. Escolheu um pequeno plug, pois pensava que agora, sim, depois do que viu poderia iniciar sua parceira em algumas práticas de prazer. E um plug serviria de consolo até mesmo quando estivesse ausente. E assim fez.
À noitinha, ao retornar do trabalho entregou-lhe aquela caixa, que ela olhou meio desconfiada, se questionando o que poderia ser. E qual foi sua surpresa ao encontrar um plug dentro daquela dourada caixa, que mais parecia um convite de sonhos. Não entendeu bem. Mas a aproximação do seu macho, causou-lhe tesão.  Ele pediu para ela fazer um streep lentamente. Obedeceu, com receios...
Ao ficar totalmente nua, ele  colocou uma venda em seus olhos e a conduziu até o meio do quarto enquanto  higienizava o pequeno plug prata, untava  e com maestria a conduzia àquela cama, deitando-a de bruços e começou a tocar em suas partes íntimas, suave, com mais vigor e ela se arreganhava cada vez maias para receber esse prazer louco e que costumava realizar sozinha...
Sentiu uns dedos em seu cuzinho,  relaxou, sentiu uma língua, adorou  e se entregou... ZURI, aproveitou esse momento de entrega total e  foi colocando aquele pluginho já lubrificado. ZENE sentiu uma pequena dor, mas nem se comparava às sensações que estava sentindo... Se soltou, se contraiu, gemeu, gritou. Queria mais, mais e  mais... 
E assim, ZURI inicia aquela fêmea louca por prazer àquelas práticas deliciosas...
O próximo passo será mais ousado, pensava ele...
 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

VENHA LER-ME...

O escritor Rubem Alves 
disse que
Ler é fazer amor com as palavras”.

Então, 
venha gozar em minhas letras...

sábado, 6 de janeiro de 2018

O TEMPO MUDOU...

 



Os dias parecem que 'andam' de forma diferentes.
Foram tantas empolgações neste final de ano que “brinquei” à vontade.  Ultrapassei alguns limites antes inimagináveis.  Mas no início do ano sempre vem aquela correria. É o pior momento do ano, acho eu. Muitas responsabilidades. E ainda alguns probleminhas de terceiros que me renderam alguns milhares de prejuízos. Acho que tenho que deixar esse minha “veia” de boazinha e ser mais fria e calculista. Só assim quem sabe, pode-se trazer um equilíbrio a algumas situações.
O clima por aqui melhorou no aspecto de que aquele calor escaldante sumiu. Por outro lado “peguei” uma chuva daquelas que me deixou meio resfriada, garganta irritada, nariz irritado, rouquidão. Grrrr. Que raiva! Doem as amígdalas.
Vontade de ficar somente deitada, contemplando as lembranças, os desejos e lamentando esses dias que pausei minhas ‘investidas ousadas’. Incrível como tudo volta ao normal quando se para!  É como se voltasse ao ponto zero.
Por falar em ponto zero, em minhas últimas consultas, meu médico disse que tenho um útero pequeno (como uma virgem intocada). Gostei de saber disso não... Para alguns isso é espetacular, tudo apertadinho; mas para outros, quanto mais relaxado, ‘esgarçado’, bem aberto mesmo, melhor para markar. Eu mesma queria ter um bucetão enorme para encher de prazeres ousados! Quantas maluquices!
Estou pensativa demais esses dias. Tantas coisas a acontecer em meu derredor. Desanimei. Queria concretizar uns negócios aí, mas ainda não deram certos e isso atrasa e atrapalha outros alvos, outras metas.
Vou pelo menos tentar me concentrar em recuperar minha voz e retornar às minhas ‘práticas’...

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

QUANDO TU ME CHAMAS




Eu vou correndo
Rebolando, arrastando
Tal qual escrava de senzala
Ou como uma  puta-dama
Quando Tu me chamas
Vou feito fêmea no cio
Esperando a Tua dominação e posse
Quando Tu me chamas
A mulher aparece ao tempo que a menina “abobalhece”
É Contigo que sinto as chamas do tesão
Que meu corpo entra em erupção
Em desejos desenfreados
Regados pelo Teu prazer
Porque Tu me ensinaste e Te servir de mim
Por isso quando Tu me chamas eu vou correndo
Só para Te encontrar.